Ser Feliz!

1472415702342

Ser feliz é a arte da escolha pessoal.

Ser feliz é um estado de ânimo que coexiste com muitos outros.

Ser feliz é vivenciar a realidade sem criar expectativas em excesso.

Ser feliz é sentir uma vibração intensa, uma vitalidade exuberante que existe em episódios, momentos. Ser feliz não significa que estaremos felizes continuamente.

Ser feliz é viver em equilíbrio e a harmonia com consigo mesmo e não viver a euforia dos momentos da vida.

Ser feliz é ser completo na simplicidade dos momentos, entendendo que o simples não é o simplório.

Ser feliz é ter o essencial. E o que é o essencial?

Amizade, fraternidade, sexualidade, amorosidade, lealdade, sinceridade, confiança…

Por isso, assim como a tristeza ou qualquer outra emoção, a felicidade vive dentro de nós. Se olharmos para o nosso interior, perceberemos que desse exato lugar nascem todas as alternativas que podemos controlar para ser feliz.
Ninguém é dono da nossa felicidade, assim, não deixemos a nossa alegria, nossa paz, nossa vida, nas mãos de ninguém.
A felicidade é um estado de espírito que pode estar presente até nos nossos dias mais sombrios…

Aprecie o “agora”… e descubra grandes alegrias em pequenos momentos.

Aprecie o “momento”… e vislumbre pequenas alegrias em todos os acontecimentos.

The Dragon


 Qual escolha você tem feito para ser feliz?

Você é o maestro de toda transformação!

Klau Cordeiro, The Coach Dragão

https://www.facebook.com/thedragoncoach
Telefone / WhatsApp: +55 (61) 99283-7346
e-mail: thedragoncoach@gmail.com

Anúncios

Sempre Inteiro

f8160ec8725328399622c40073ecc870

A Terra, pequeno ponto azul na imensidão do Universo, é uma grande escola – para o eterno aprendizado -, um fabuloso teatro – para a grande apresentação -, uma incrível orquestra – para a sublime sinfonia -,  e nós somos os aprendizes, os artistas e os músicos que através da “Majestosa Vida” temos a oportunidade de compartilhar a inteireza do ser no encontro da felicidade.

Para que nossas relações, sejam quais forem, possam florescer na felicidade, encantar o coração com amor, precisamos nos fazer inteiros, nos compreender inteiros, mesmo que repletos de cicatrizes na alma e medos intensos no coração.

Para termos um relacionamento solidificado no amor, precisamos edificar primeiramente o amor em nós mesmos, sendo inteiro no amar, caso contrário seremos apenas sombras no amor do outro.

Para construirmos um relacionamento feliz, necessitamos ser felizes sozinhos em primeiro plano, caso contrário seremos apenas sombras na felicidade alheia.

Uma relação não é feita de metades. Quando somos metades, não conseguimos saber qual a diferença entre amor e paixão, amor e desejo, amor e amizade, amor e interesse. Mas, quando somos inteiros a paixão se transforma em amor, o desejo se perde no amor, a amizade consolida o amor e o interesse se esvai para o amar sem limites.

Simples assim! Metade… é apenas metade de si mesmo. Metade… é apenas sombra no relacionamento.

Somos seres inteiros e precisamos encontrar outros seres inteiros para que possamos viver uma relação plena, extasiante em todos os sentidos.

Um relacionamento que envolve seres completos – na busca da plenitude pessoal – , há uma vibração positiva, uma interação harmoniosa em todos os sentidos, humano, espiritual e físico.

Não se contente em ser metade, nem permita que o outro assim o seja. Vamos lá! Auxilie-o a ter suas próprias asas, a ser completo, caso contrário o voo será sempre pequeno e sem brilho. Se permanecerem sendo metades não conseguiram voar além dos sonhos para visualizar o magnífico esplendor do amor que aquece a vida.

Seja inteiro, seja pleno, seja intenso… e abrace com energia, beije profundamente, ame intensamente e viva na completude da própria vida.

Um ser inteiro – não trai – respeita seu relacionamento, porque está bem consigo e não tem “sombras insatisfeitas” comandando seu íntimo.

Um ser inteiro – não machuca – cuida do relacionamento, porque está bem consigo e sabe quanto é árduo e longo o caminho da cura.

Um ser inteiro – ama e deixa-se ser amado – sem medos, sem sombras, sem meias verdades, e se der medo, segue com medo mesmo!

Então, não se permita ser metade, nem mesmo de você mesmo, e muito menos de outro ser!

The Dragon


E VOCÊ É INTEIRO EM SEUS RELACIONAMENTOS?

Você é a Inteireza de toda transformação!

Klau, The Dragon Coach.

https://www.facebook.com/thedragoncoach

Telefone / WhatsApp: +55 (61) 99283-7346
e-mail: thedragoncoach@gmail.com

Construa sua estrada

35594daa-1197-4b6f-bb01-b2b0586656791

Existem dias assim…

Parece que temos um inferno por dentro. A mente fica confusa, os pensamentos se embaralham, os sentimentos indefinidos, as lágrimas escorrem em abundância, vem o desânimo físico e por aí vai… São as dores da vida. Não é loucura, nem “encosto” e nem TPM. É o clamor da vida lhe comunicando:

“Desculpe pelos transtornos, mas a estrada está em manutenção hoje. Preciso vasculhar o meu interior em busca de novas ferramentas e material de qualidade. Preciso reconstruir algo. Preciso recomeçar um novo caminho.”

E não existe uma razão determinada para que isso aconteça. Não somos felizes (alegres), o tempo todo, muito menos tristes (sofremos), todo o tempo. Existem momentos – de alegria e dor – no decorrer dessa grande viagem chamada vida. Eles se alternam frequentemente, ao longo da viagem, e nem sempre, conseguimos compreender as dores da consciência.

Temos que compreender e acolher os momentos – de alegria e felicidade – como placa sinalizadora na estrada da vida, nos convidando a seguir em frente, angariando força e coragem para os momentos seguintes.

Temos que compreender e acolher os momentos – principalmente os mais difíceis e duros – como placa sinalizadora na estrada da vida, nos convidando à mudança, à transformação da direção que estamos seguindo.

A vida é uma estrada com inúmeras “retas e indefinidas curvas” (que bela metáfora). A alegria, felicidade (momento de equilíbrio e harmonia ) são as retas, que antecedem as curvas (momento de dor, angústia, provação) – longas, demoradas, curtas, várias seguidas, suaves ou breves, sempre dependendo da condução, velocidade – escolhas –  exercida no percusso anterior.

Assuma a responsabilidade de suas atitudes, das suas escolhas e construa “novas estradas”. Enfrente suas curvas com coragem, na certeza de que você pode recomeçar sempre. Recomece e não pare mais de construir novos caminhos. Cada um é responsável pela construção de sua estrada, seu caminho. Quais máquinas usar? Quais materiais utilizar? Depende de cada um. Faça a sua escolha!

Eu escolhi utilizar  como máquinas a gentileza, a humildade, a simplicidade; como pavimento a paz, a esperança, a perseverança; como placas sinalizadoras o sorriso, o olhar, a palavra, o escutar; e por fim ilumino minha estrada com a luz esclarecedora e motivadora do amor.

A vida te responderá com entusiasmo e alegria para prosseguir. Faça sua escolha!

The Dragon


E VOCÊ QUAIS MÁQUINAS VAI UTILIZAR? VENHA! FAÇA A MELHOR ESCOLHA!

Você é o Construtor de toda transformação!

Klau, The Dragon Coach.

https://www.facebook.com/thedragoncoach

Telefone / WhatsApp: +55 (61) 99283-7346
e-mail: thedragoncoach@gmail.com

Da insuportável mania de dizer não tenho tempo!

falta-de-tempo-thumb-620x413-153060

Então convidaram você para ir ao cinema e você respondeu “não tenho tempo”? Então te perguntaram porque não ligou e você respondeu “não tive tempo”! Cuidado, pois se essa resposta for recorrente em sua vida, você está correndo um sério risco de morte. A morte das coisas boas que fazem a sua vida ser melhor.

Século XXI, ano: 2016. O mundo nunca foi tão rápido quanto agora. Somos milhares de seres humanos absurdamente atarefados e loucamente sedentos por um dia que dure 30 horas ao invés das parcas 24 que Deus nos deu. Porque 24 é muito pouco. Não serve para dar conta de tudo aquilo que precisamos fazer em um dia, e isso nos estressa. Nos deixa irritadiços e pouco propensos a sermos “pessoas legais”. E a gente abre mão de muita coisa por causa dos nossos intermináveis compromissos… A gente vai deixando de viver, vai deixando de lado o que nos diverte ou nos relaxa, ou o que apenas consegue tirar de nós aquele riso fácil.

Eu sei. Todos somos pessoas responsáveis, com obrigações a serem cumpridas, metas a serem batidas e trabalhos a serem entregues. Não estou dizendo que devemos assassinar nossa vida profissional e acadêmica e nos mudarmos para a praia, sobrevivendo apenas de sol e água de coco. O que estou dizendo é que não podemos assistir calados enquanto nossa vida profissional e acadêmica comete homicídio doloso contra a nossa humanidade, contra os nossos sentimentos, contra quem somos de verdade.

E aí a gente diz que “não tem tempo”. Vamos refletir: quantas vezes já ouvimos essa resposta ao convidar um amigo para ir ao cinema, ou para tomar um café rápido? Foram inúmeras, aposto. Quantas vezes deixamos de ver alguém que nos é precioso por culpa dos trabalhos acumulados na faculdade? Quantas vezes tivemos que faltar naquele jantar de aniversário com toda a família porque preferimos ficar no trabalho até mais tarde para adiantar as coisas? Quantas vezes deixamos de ir assistir aquele show daquela banda que amamos porque no dia seguinte tínhamos que acordar cedo?

As obrigações e os compromissos têm feito isso conosco. Têm devorado nossa rotina, escravizado nosso tempo e aos poucos têm nos matado de saudade. Saudade das risadas sem motivo com os amigos, saudade das mãos dadas no cinema, saudade da piscina com os primos, saudade da corrida pela praia com o cachorro, saudade da maratona de episódios daquela série preferida. Tudo porque nos contentamos em dizer “não tenho tempo”. Pois eu tenho uma notícia surpreendente para vocês: Nós temos tempo sim. Parem de mentir, parem de inventar desculpas. O tempo é mera questão de organização e de certos sacrifícios.

Mesmo que achemos que não vai dar, que as 24 horas não vão dar conta, a verdade é que um dia suporta tudo. Basta que aprendamos a tirar dele o melhor que ele pode oferecer, basta que saibamos regar o tempo dando a ele a possibilidade de florescer. Sacrifícios, às vezes, serão necessários, precisamos entender isso. Terminar aquele trabalho tarde da noite porque foi ver o pôr-do-sol com os amigos na praia. Gastar o horário de almoço conversando com o primo que mora no interior mas foi visitar a família na cidade. Deixar o relatório pro dia seguinte porque é aniversário da namorada.

Tudo bem. Você dormiu tarde, você não almoçou, você não adiantou o trabalho. Mas você se lembra das risadas que deu com os amigos? Você lembra das boas novidades que o primo trouxe? Lembra do sorriso da namorada ao ver você? Pois é. Valeu a pena. Os sacrifícios têm seu preço, mas o fruto sempre é bom. O seu coração agradece, a sua alma agradece, o seu espírito agradece. E com certeza os seus amigos, o seu primo e a sua namorada também vão agradecer.

Mais uma vez eu repito: isto aqui não se trata de uma ode ao descompromisso, de uma apologia à irresponsabilidade. Trata-se de um lembrete de que não faz bem pro coração viver apenas para os compromissos. Se deixarmos que as coisas de adulto se apossem de nós indiscriminadamente, o que vamos nos tornar? Aonde vão parar os nossos relacionamentos? Organizar esse tempo que corre tão depressa é o segredo de tudo. É a chave para que as coisas deem certo. É a solução para que possamos terminar o trabalho e ir ao cinema depois.

Então, faça um favor às pessoas que sentem sua falta: organize seu tempo, sacrifique algumas coisas e vá vê-los. Elimine sumariamente da sua vida essa insuportável mania de dizer “não tenho tempo”. Você tem tempo. Você pode. O dia vai estar lá para que você o utilize sabiamente, então floresça o seu tempo. Isso fará bem ao seu coração e com certeza tornará o peso da rotina um pouco mais leve.

tumblr_m0dy0zNJrW1r9x643o1_500.jpg

Vá lá. Marque esse cinema que vem sendo tão adiado. Reserve aquela mesa perto da janela no restaurante. Compre brigadeiro para comer com sua mãe enquanto assiste novela mexicana. Diga, sem medo, receio ou desconfiança: Eu posso, sim. Eu tenho tempo. Vamos nos ver. E dito isto, pode abrir aquele sorriso.

Por: Kananda Magalhães Santos via http://obviousmag.org


E você até quando vai continuar justificando sua ausência com “Não tenho tempo”?

Você é o maestro de toda transformação!
Klau, The Dragon Coach.

https://www.facebook.com/thedragoncoach
Telefone / WhatsApp: +55 (61) 99283-7346
e-mail: thedragoncoach@gmail.com

 

Felicidade

images_(5)[1]

“A felicidade real é uma casa que se constrói por dentro da própria alma.” – Marco Prisco

A felicidade existe Phoenix? Então como encontrá-la? O que fazer para alcançar a felicidade? Onde fica a felicidade? Perguntas… perguntas… perguntas… muitas  e muitas perguntas pululam em nossa mente quando o assunto é felicidade.

Sim, a felicidade existe e podemos senti-lá, vivencia-lá com abundância. Como? Esforçando por eliminar os obstáculos – reduzir o peso da cesta que carregamos – durante a caminhada pela estrada da vida. Todos os dias, ao invés de retirarmos as pedras, acabamos acrescentando outras tantas com atitudes intempestivas, mesquinhas e precipitadas. E a cesta vai ficando pesada, pesada, pesada. E assim, vamos caminhando, ou nos arrastando dependendo da quantidade de pedras na cesta, na estrada da vida.

Se queremos ser feliz é preciso esvaziar a cesta, enchendo-a com a leveza das atitudes saudáveis perante a vida. E ser feliz é uma questão de atitude perante você mesmo na estrada da vida.Vejamos:

Cultive a disciplina do pensamento… mantendo assim a harmonia e o equilíbrio das próprias emoções;

Fale pensando no bem… e terá a concórdia como companheira em torno de si;

Age com caridade… e conseguirá uma boa conselheira na construção da paz em torno de ti;

Lute com paciência, otimismo e perseverança… e conquistará as melhores oportunidades de vencer;

Trabalhe vigorosamente… o trabalho dignifica e nos mantém no rumo do progresso;

Ame sem distinção… o amor verdadeiro não se detém no objeto amado;

Tenha segurança interior diante da vida… e sentirá a presença da felicidade;

Trabalhe em favor da autoiluminação no decorrer da vida… descobrindo assim o mais  eficaz meio de conquista da felicidade ;

Valorize o que sabe, o que é e o que se  tem na vida… e conquiste a felicidade sem os tormentos da ambição;

Cumpra com o seu dever perante a vida… seja qual for sua atribuição na vida realize-a com alegria e sinta a felicidade da consciência tranquila;

Não se apegue demasiado as pessoas que caminham com você na vida… ninguém é responsável pela sua felicidade. As pessoas são livres para estar onde melhor se sintonizam. A felicidade está em você;

Seguir amando a vida e na vida… Amar é ser livre. Ame e não tenha a preocupação de ser amado e a felicidade te alcançará;

Sê sincero…A sinceridade atrai bons e verdadeiros amigos. Amigos são luzes de felicidade na estrada da vida;

Ouve a voz da consciência… mantendo assim a tranquilidade na escolha das atitudes que te fará encontrar a felicidade na estrada da vida;

Então como encontrar a felicidade? Como ser feliz?

Simples! Esvazie a cesta e viaje com o veículo das atitudes edificantes e nobres e vislumbrará a cada quilometro na estrada da vida um “posto de gasolina” para se abastecer de FELICIDADE.

Afinal todo ser humano tem por ideal ser FELIZ. Experimente ser FELIZ.

The Dragon


Qual o peso da sua cesta? Venha esvaziar a sua cesta! É fácil ser feliz.

Você é o maestro de toda transformação!
Klau, The Dragon Coach.

https://www.facebook.com/thedragoncoach
Telefone / WhatsApp: +55 (61) 99283-7346
e-mail: thedragoncoach@gmail.com

Como Seguir em Frente Quando nada te faz Feliz

FB_IMG_1458223426813[1]

Às vezes você não consegue encontrar o seu caminho, e isso faz com que seja complicado alguma coisa te fazer feliz. Talvez o seu parceiro não te faça feliz, você não goste do seu trabalho, queira mudar sua forma de viver a vida, mas se sinta bloqueado.

O turbilhão da vida cotidiana impede que você pare e pense se o que você está fazendo é o que realmente quer fazer, impede que você reflita sobre o motivo pelo qual não está feliz. Todas as suas atividades diárias te distraem do que também é importante: você mesmo.

“A vida está cheia de solidão, miséria, sofrimento, tristeza e, no entanto, ela passa rápido demais.” – Woody Allen

Alguns Conselhos para seguir em frente

Um pouco de egoísmo saudável é necessário de vez em quando para nos recuperarmos, para sabermos quem somos e termos a certeza de que o lugar para onde a nossa vida está indo nos faz feliz, e é o lugar que nós mesmos escolhemos, não outras pessoas.

Você pode fazer muitas coisas para seguir em frente quando nada te faz feliz, mas o fundamental é realizar uma reflexão profunda sobre as nossas emoções, sentimentos e desejos.

Pense no que você deseja

O que você quer? O que te deixa animado, o que te faz vibrar? Não se deixe influenciar pelo que os outros pensam que você deseja, trate de pensar no que você deseja, no que te faz feliz. Todos temos sonhos e desejos que temos medo de realizar, mas a vida é curta e é hora de caminhar para aquilo que realmente queremos.

 Aja para ser feliz

Não basta só pensar, também é hora de começar a fazer tudo aquilo que você pode fazer para ir em direção ao seu sonhoSe você sempre quis ser atriz, comece se inscrevendo em um curso de teatro, por exemplo, vá a eventos que tenham a ver com teatro ou cinema, saia com pessoas que tenham os mesmos interesses que você e você irá começar a desfrutar o que te faz feliz.

“Em um minuto posso mudar a minha atitude, e nesse minuto posso mudar o dia inteiro.”  – Spencer Johnson

Abrande o ritmo da sua vida

Não é preciso tentar fazer tudo de uma só vez; pare um pouco e reflita sobre o que é urgente e o que pode esperar. Encontre um tempo para dedicar a si mesmopara aproveitar o que você mais gosta, quer seja passear à luz do luar, comer alguma coisa com seus amigos ou familiares, jantar com seu namorado. Sempre é possível encontrar esse momento para nós mesmos.

Valorize o que você sente

Os nossos sentimentos são importantes. Como a sua vida faz você se sentir atualmente? Do que é que você não gosta? Se você se sente triste, é hora de começar a fazer mudanças; comece por si mesmo, mude a sua forma de vestir, de arrumar o cabelo, de caminhar, mude a sua forma de se relacionar com os outros. Pense que você não vai perder nada, simplesmente vai ter experimentado algo novo e vai se divertir.

Se você precisa chorar, chore. Não importa se alguém estiver olhando, deixe a tristeza sair, não a retenha. Faça com que cada lágrima dissolva o que te preocupa, o que não te faz feliz. É necessário chorar para poder substituir essas lágrima por um belo sorriso depois.

 Aproveite a companhia das pessoas

Isolar-nos e não nos relacionarmos com outras pessoas nos distancia e faz com que afundemos ainda mais na nossa tristeza. Somos seres que precisam de abraços, beijos, carinho, palavras de ânimo e de consolo.

Precisamos estar com outras pessoas e desfrutar a sua alegria, seu sorriso contagioso. Talvez você não esteja com vontade de ver ninguém, mas muitas vezes, quando nos sentimos assim, acabamos saindo e aproveitando muito, pois não temos expectativas.

 O que você faria se não tivesse medo?

Essa é uma pergunta fundamental que você deve se fazer todos os dias para deixar de lado aquilo que te dá medo. Existem muitas maneiras de fazer as coisas, e é importante fazê-las de uma forma com a qual nos sentimos confortáveis. Muitas vezes, correr um risco pode nos fazer sentir que o medo é algo totalmente superável e criado por nós mesmos.

Sair da nossa zona de conforto, fazer algo arriscado, sentir um pouco de ansiedade todos os dias, independentemente de se vamos conseguir ou não; tudo isso poderá nos proporcionar a alegria de viver e de saber que vale a pena aproveitar cada segundo da nossa existência.

                        “Tudo parece impossível até que seja feito.” – Nelson Mandela

Via http://amenteemaravilhosa.com.br/

The Dragon


E você até quando vai permanecer tendo medo de se machucar?

Você é o Possível de toda transformação!
Klau, The Dragon Coach.

https://www.facebook.com/thedragoncoach
Telefone / WhatsApp: +55 (61) 99283-7346
e-mail: thedragoncoach@gmail.com

Praticando a Gratidão

FB_IMG_1457101822243[1]

“Sou muito grato às adversidades que apareceram na minha vida, pois elas me ensinaram a tolerância, a simpatia, o auto-controle, a perseverança e outras qualidades que, sem essas adversidades eu jamais conheceria.” – Napoleon Hill.

Gratidão sempre!!!

Ontem estava lendo um artigo do The Phoenix Journal – Practicing Gratitude (Praticando Gratidão) escrito por Cris Repolês – The Phoenix Coach.
E eu gostaria de destacar algumas passagens deste artigo que me despertaram a atenção e que valem uma reflexão mais profunda.

“…convidá-lo a refletir sobre sua vida e sobre si mesmo por apenas um momento…
O que te faz sentir GRATIDÃO?
O que o faz SORRIR?
O que faz o seu CORAÇÃO bater mais forte?
O que faz você se sentir PODEROSO?
O que faz você se sentir verdadeiramente FELIZ?
Este é um convite geral…”

Fazer uma reflexão profunda sobre si mesmo na busca de se conhecer e amar é a melhor forma de se ter pela vida GRATIDÃO, e nesse momento você vai se sentir em paz, alegre e começará a SORRIR, vai SORRIR tanto que seu CORAÇÃO vai acelerar o ritmo e baterá tão forte que você vai se sentir PODEROSO e todo esse poder te deixará muito, mas muito FELIZ… Então não perca esse momento…aceite o convite para “refletir sobre tudo o que te faz sentir GRATIDÃO”.

Seja grato por tudo que você tem… e o que não tem? Saúde, situação financeira, trabalho, carro…
Seja grato por tudo que você é… e o que não é? Bonito, feio, magro, gordo…
Seja grato por qualquer situação… de alegria ou tristeza, boa ou ruim…

“Pois aqui é quando a mágica começa a acontecer…” nos diz a Coach Cris Repolês. Sempre que temos gratidão estamos gerando pensamentos e sentimentos positivos e assim estamos nos abrindo para obter mais e cada vez mais.
Isso acontece porque tudo que nós sentimos e pensamos gera uma vibração. Essa vibração cria um campo energético que atraí para nós vibrações com teor equivalente (Lei de ação e reação). Assim podemos criar o nosso próprio destino, o nosso próprio mundo.

Então fica aqui o pedido da Coach Cris Repolês: Pratique a Gratidão durante toda a sua vida e perceberá como a vida lhe será grata.

E por falar em gratidão, gostaria de agradecer imensamente a esta fenomenal, fantástica Coach – Cris Repolês – que em apenas dois meses de sessão semanal revolucionou minha história de vida. A sua forma apaixonada de trabalhar, contagia, empolga e nos faz acreditar não existir o impossível quando nos dispomos a transformar a nossa vida em uma vida de sucesso.

Gratidão sempre! Cris Repolês – The Phoenix Coach.

(Leia o Artigo: “Praticando Gratidão” aqui)

The Dragon


E você tem praticado a gratidão? Venha! Vamos praticar!

Você é o maestro de toda transformação!
Klau, The Dragon Coach.

https://www.facebook.com/thedragoncoach
Telefone / WhatsApp: +55 (61) 99283-7346
e-mail: thedragoncoach@gmail.com

Tempo e Relacionamento

FB_IMG_1466285036557[1]

“Perceba se o seu relacionamento está pautado em três componentes fundamentais. A emoção, o projeto de vida em comum e o sexo. Se você não está feliz em um ou todos esses quesitos, é possível que seu relacionamento já esteja todo ou em partes prejudicado”. – (via acessa.com)

Conheça histórias de relacionamentos e a explicação da psicologia para se casar rápido ou com planejamento

Amor, amor, amor! Uma das palavras mais desejadas, mais conceituadas e menos entendida. E quando a reflexão sobre esse assunto tão polêmico entra como uma variável do casamento, pode ser que as definições se compliquem ainda mais.

Mesmo em um mundo em constante transformação, ele continua sendo o tempero mais requisitado para a receita de um relacionamento ou casamento bem sucedido. E no mexer das panelas, há quem cozinhe uns, que queime outros, que coloque a pressão para funcionar.

Cada um vive intensidades e relacionamentos diferentes. E é por esse motivo que há aquele que encontra a sua hora certa de chegar ao altar e dizer o sim mais famoso da vida. Há quem case logo, que demore anos, ou que desista da história de tanto tempo por uma figura que acaba de conhecer.

Não existe “receita de bolo” para um casamento bem sucedido. Pelo menos no que diz respeito ao tempo de namoro e de conhecimento dos noivos. Essa é a afirmação da da psicóloga Carla Queiróz . Tanto um relacionamento bem planejado como um amor construído rapidamente possuem grandes chances de dar certo.

“A única coisa é quem pensa em se casar com poucos meses de namoro tem que ter em mente que precisa estar mais atenta com a pessoa que convive. Você tem quer saber que a sua experiência com ela não te permitiu um conhecimento verdadeiro. Mas, quanto a dar certo, só ao futuro pertence”, acredita a psicóloga.

No entanto, é preciso saber diferenciar amor de paixão, para não fazer do impulso inicial de um relacionamento, a certeza de que aquela pessoa é o homem ou a mulher da sua vida. “Que um casamento pode dar certo depois de um namoro de três meses pode, mas dá porque aquela paixão fulminante se transformou em amor”, comenta.

De acordo com a psicóloga ninguém consegue viver só no estado de paixão, o próprio corpo tende a fazer esse sentimento se acalmar. E que, muitas pessoas só descobrem que a paixão acabou e que não conseguiu se transformar em outro sentimento depois que estão casadas. Aí está o problema.

E na dificuldade de se entender o que é amor e o que é paixão, e qual daqueles sentimentos se quer pra vida é que reside o problema ou a solução de muitos casais. Samantha Bueno e Leonardo Soares (foto abaixo) fizeram da dúvida uma solução: se apoiaram no companheirismo e na calmaria do relacionamento pra se casarem depois de mais de seis anos de namoro.

Os dois se conheceram ainda na faculdade e sempre foram companheiros para tudo. Tiveram desavenças e dúvidas sim, como destaca Leonardo, mas sempre optaram por pensar que qualquer outro novo relacionamento, apesar de parecer interessante e atrativo, era realmente só uma paixão.

“É claro que eu já pensei em ficar com outras pessoas, e que já até pensei em me envolver. Mas apesar de parecer que era bom, optei por me concetrar na Samantha. O novo sempre aparenta ser bom, porque tem aquele gosto de paixão que eu tive no ínicio do meu relacionamento com a minha esposa. Mas eu soube enteder que calmo não era ruim, e hoje estou feliz”.

A psicóloga Carla Queiróz comenta a naturalidade que existe em toda a história de Leonardo: é comum que as pessoas pensem que outro relacionamento pode ser mais interessante que o que já tem muitos anos, é natural que o sentimento de quem namora há muito tempo seja mais calmo e mais concentrado e que esteja longe da agitação dos primeiros meses da paixão. Mas o “natural” pode ser entendido de duas formas, e aí está a decisão particular de cada um: continuar com o relacionamento longo ou embarcar em um novo.

Leonardo valorizou escolher tudo que tinha vivido com Samantha, mas há muitos histórias que quem, na dúvida, optou por outra coisa. E assim como a complexa história da definição do amor, há aqueles que se dão bem e os que se dão mal.

Quando o tempo se confunde com comodismo

Amor é amor. Paixão é diferente. O fato é que muitas pessoas também se apoiam nessa definição e continuam com seus parceiros por muito tempo, mesmo sabendo que as coisas não andam assim tão bem.

Para a psicóloga, é preciso estar atento. Porque para ser feliz não dá pra confundir as duas coisas. Carla ressalta que essa dúvida acontece mais quando as pessoas não são tão intensas em todas as áreas da vida.“Se a pessoa tem um perfil mais acomodado confunde mesmo”.

Carla explica que é preciso saber que o sentimento se modificou. Mas também é preciso reconhecer o sentimento “homem/mulher” na relação. Seja ele amor ou encantamento, o nome que se queira dar a “bem querência” não importa. E para reconhecer isso, a profissional dá uma dica, sempre ressaltando que nesse tipo de assunto, cada caso é um caso:

“Perceba se o seu relacionamento está pautado em três componentes fundamentais. A emoção, o projeto de vida em comum e o sexo. Se você não está feliz em um ou todos esses quesitos, é possível que seu relacionamento já esteja todo ou em partes prejudicado”.

E se você descobrir que seu namoro ou noivado realmente se tranformou em amizade, não tenha medo. Coragem é palavra de ordem nesse momento, até mesmo pra assumir, que mesmo não sendo mais pra você aquela pessoa, você tem sentimentos de posse que podem se confundir com gostar.

Quando o tempo é o menor detalhe

Érica Santana e André Brício (foto) são exemplos de como tempo não é “documento” para a decisão do casamento. Eles são de Juiz de Fora, mas não se conheceram aqui. Foi depois de uma excursão para um parque aquático no estado de São Paulo, que eles, sentandos lado a lado no ônibus, ficaram sabendo um pouco mais sobre a vida do outro.

Os dois conversaram durante as oito horas de viagem e se apaixonaram. Chegaram no destino já andando de mãos dadas e acreditando em um futuro juntos. Érica conta que nunca imaginou casar cedo. Pelo contrário, já que vinha de um relacionamento de quatro anos, que acabou não se concretizando exatamente por ela achar que a “hora do sim” era precipitada.

Não deu certo com o namoro de anos, mas meses depois lá estava André:”parceiro, amigo e amante”, como ela mesmo define. “Começamos a conviver e depois de um certo tempo eu já não conseguia mais ficar longe dele. Queria dormir, acordar, comer, sair. Tudo junto. Concluímos com isso que o mais correto seria o casamento”.

A família de Érica foi contra, apesar de hoje ser apaixonada pelo novo membro da família. A mãe vivia dizendo que tudo aconteceu muito rápido e que a filha nem conhecia o futuro marido. “E não conhecia mesmo, namoramos só quatro meses antes de casar”, complementa a hoje estudante, justificando que o que sentiu pelo noivo foi realmente um sentimento diferente do que conhecia como amor.

Histórias como a de Érica e André são mais que comuns, como comenta a psicóloga Carla Queiróz. Pessoas diferentes, vivem relacionamentos e intesidades diferentes de amor e paixão. Dessa forma, é comum que algumas queiram se casar rapidamente.“Isso é uma particularidade de cada um, assim como há os que são aflitos, nervosos ou qualquer outra coisa”. E só ao futuro pertence as chances desse relacionamento dar certo ou não.

Há também muitos casos de pessoas que nem são tão intensas assim, e que acabam se casando rápido. A maioria delas, vindas de relacionamento duradouros que acabaram se transformando em amizade. Se você conhece ou vive uma situação dessas, lá vai a explicação da psicologia:

Quando uma pessoa vem de um relacionamento de anos, que padecia de algum problema, sempre tende a viver mais intensamente um novo. “É como se a pessoa estivesse com carinhos e carências incubadas, e quando vive uma coisa nova, dá total vasão a isso. O resultado: acaba casando por se sentir completa, mesmo com pouco tempo de namoro….

Com pouco ou muito tempo, o certo é que se discute amor desde os tempos de Sócrates. E como resume a psicóloga: “todas essas histórias são ilustrativas, e sempre tenho personagens delas aqui no meu consultório. O que não se pode perder de vista é que o mais importante da vida é buscar a felicidade”.

Fonte: acessa.com em http://www.acessa.com/mulher/arquivo/eles/2006/03/22-casais/


E você tem buscado a felicidade em seu relacionamento? Venha ser feliz!

Você é o maestro de toda transformação!
Klau, The Dragon Coach.

https://www.facebook.com/thedragoncoach
Telefone / WhatsApp: +55 (61) 99283-7346
e-mail: thedragoncoach@gmail.com


 

É preciso amar a si mesmo

como-se-amar-mais

Quando me amei de verdade, compreendi que em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa, no momento exato.
E então, pude relaxar.
Hoje sei que isso tem nome… Auto-estima.

Quando me amei de verdade, pude perceber que minha angústia, meu sofrimento emocional, não passa de um sinal de que estou indo contra minhas verdades.
Hoje sei que isso é…Autenticidade.

Quando me amei de verdade, parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento.
Hoje chamo isso de… Amadurecimento.

Quando me amei de verdade, comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma situação ou alguém apenas para realizar aquilo que desejo, mesmo sabendo que não é o momento ou a pessoa não está preparada, inclusive eu mesmo.
Hoje sei que o nome disso é… Respeito.

Quando me amei de verdade comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável… Pessoas, tarefas, tudo e qualquer coisa que me pusesse para baixo. De início minha razão chamou essa atitude de egoísmo.
Hoje sei que se chama… Amor-próprio.

Quando me amei de verdade, deixei de temer o meu tempo livre e desisti de fazer grandes planos, abandonei os projetos megalômanos de futuro.
Hoje faço o que acho certo, o que gosto, quando quero e no meu próprio ritmo.
Hoje sei que isso é… Simplicidade.

Quando me amei de verdade, desisti de querer sempre ter razão e, com isso, errei muitas menos vezes.
Hoje descobri a… Humildade.

Quando me amei de verdade, desisti de ficar revivendo o passado e de preocupar com o futuro. Agora, me mantenho no presente, que é onde a vida acontece.
Hoje vivo um dia de cada vez. Isso é… Plenitude.

Quando me amei de verdade, percebi que minha mente pode me atormentar e me decepcionar. Mas quando a coloco a serviço do meu coração, ela se torna uma grande e valiosa aliada.
Tudo isso é… Saber viver! 

Kim e Alison McMillen


Quando você parar de frente ao espelho…  e se encantar consigo mesmo;

Quando você parar de frente ao espelho… e dar uma piscadinha pra si mesmo;

Quando você parar de frente ao espelho… e disser pra si mesmo como você está lindo(a);

É sinal que está no caminho…

É sinal de que está começando a amar a si mesmo, começando a aprender a VIVER.

The Dragon


E VOCÊ O QUANTO TEM SE AMADO? VENHA APRENDER A AMAR A SI MESMO! VENHA SABER VIVER!

Você é o maestro de toda transformação!
Klau, The Dragon Coach.

https://www.facebook.com/thedragoncoach
Telefone / WhatsApp: +55 (61) 99283-7346
e-mail: thedragoncoach@gmail.com

Uma Carta Aberta para a Minha Ex.

images_(15)[1]

Durante muito tempo tentei compreender o que tinha acontecido, se as lágrimas que foram derramadas eram da minha incapacidade de fazer dar certo ou se tudo não passava de incompatibilidades que a vida me proporcionou sem nenhum motivo aparente.

Cansei de refletir e procurar uma solução racionalizada para a dor que consumia o meu peito, pois o excesso tinha me levado ao extremo mental e os conflitos internos começavam a me assombrar novamente.

Foi quando decidi desistir de compreender que uma luz começou a brilhar. Olhei para dentro de mim e percebi de que não poderia e nunca poderei mudar ninguém, apenas aprimorar-me. Olhei os meus passos e notei que gastei mais tempo tentando transformá-la em alguém melhor, sem me dar conta que acabei esquecendo-me de mim várias e várias vezes. Exigindo algo que nem eu possuía, uma contrariedade e tanto.

Conclui então, que minhas atitudes não justificavam meus desejos e que sua falta de atitude nunca poderia ter sido transformada em uma cobrança – ou várias, como eu fazia. Dei-me conta de que o errado não era só você, mas, principalmente eu. Que tinha um pensamento imaturo, infantil e ignorava aquilo que me trazia para fora da minha zona de conforto, por medo de mudar algo que estava bom no meu ponto de vista e que se você se esforçasse mais, tudo daria certo.

Como sempre, perdi dias de prazer ao seu lado, para criticar suas atitudes egoístas, sendo que o egoísta era eu. Olhava para nossa relação e desejava que você me amasse mais, enquanto eu sufocava você minando-a de regras e limitações amorosas, como se você fosse uma máquina que no momento que aceitou namorar comigo, teria que fazer minhas vontades.

O tempo passou, lembranças ficaram e desses anos pra cá as fichas continuam caindo em direção ao bom senso que nunca tive na nossa época. Reflito e percebo que hoje não sou 10% da pessoa que eu era com você. Mimado, agressivo quando me contrariava e acomodado na minha ilusória vida mansa.

Você me fez correr atrás dos meus sonhos e eu nunca tive a oportunidade de agradecê-la por isso, então muito obrigado; de coração. Me transformei aos poucos e evolui mais com a sua partida, do que 20 anos da sua presença, amadureci, transformei-me e conquistei desejos que, na minha cabeça, demorariam décadas para se tornarem reais.

Hoje olho para trás e não sinto ressentimento por ter me deixado, hoje posso olhar sua time line, ver você na balada, cumprimentar sua família e até vê-la com outro alguém lhe fazendo sorrir. Hoje sou diferente, sou mais tranquilo em relação a tudo. Você me ajudou mesmo sem saber. Compreendi que nada é nosso de verdade e que tudo chega ao fim, o que nos cabe é aproveitar cada instante.

Hoje eu sinto que não sou melhor que ninguém, nem quero ser e sinto que me superar é o objetivo mais árduo que posso realizar.

Hoje eu sou grato a você, sou grato as dores que passei e a imaturidade que se foi com esses anos de reflexão e aceitação. Alguns demoram anos, outros décadas – ou até uma vida – para equilibrar-se novamente.

Obrigado as oportunidades.

Carrego o que é bom, aprendi com o que foi ruim e tento mostrar que o fim nem sempre é o pior caminho, mas muitas vezes ficar acorrentado em uma relação infeliz, cômoda, frustrante durante anos é terrível. Perceber que sua vida não passou de uma vitrine para aqueles que nem ligam para seu íntimo, é muito pior. Perdendo assim o mais valioso; chances.

Essa carta é para todas as pessoas que já sentiram a dor de um pé na bunda e não desistiram, porque a vida testará a gente, hoje e sempre, basta a nós decidirmos se viveremos futilmente e acovardados ou levantaremos nossos olhos e encararemos olho a olho as manchas que insistem em ficar nas nossas almas. Aproveite seu caminho e contemple a vista meu caro. Um dia ela acabará.

Por: Gabriel Zorgetz Capeletti para Vida em Equilíbrio  via http://www.equilibrioemvida.com/


E você vai esperar 20 anos para começar a ser feliz? Venha comece agora!

Você é o maestro de toda transformação!
Klau, The Dragon Coach.

https://www.facebook.com/thedragoncoach
Telefone / WhatsApp: +55 (61) 99286-5192
e-mail: thedragoncoach@gmail.com