Como Seguir em Frente Quando nada te faz Feliz

FB_IMG_1458223426813[1]

Às vezes você não consegue encontrar o seu caminho, e isso faz com que seja complicado alguma coisa te fazer feliz. Talvez o seu parceiro não te faça feliz, você não goste do seu trabalho, queira mudar sua forma de viver a vida, mas se sinta bloqueado.

O turbilhão da vida cotidiana impede que você pare e pense se o que você está fazendo é o que realmente quer fazer, impede que você reflita sobre o motivo pelo qual não está feliz. Todas as suas atividades diárias te distraem do que também é importante: você mesmo.

“A vida está cheia de solidão, miséria, sofrimento, tristeza e, no entanto, ela passa rápido demais.” – Woody Allen

Alguns Conselhos para seguir em frente

Um pouco de egoísmo saudável é necessário de vez em quando para nos recuperarmos, para sabermos quem somos e termos a certeza de que o lugar para onde a nossa vida está indo nos faz feliz, e é o lugar que nós mesmos escolhemos, não outras pessoas.

Você pode fazer muitas coisas para seguir em frente quando nada te faz feliz, mas o fundamental é realizar uma reflexão profunda sobre as nossas emoções, sentimentos e desejos.

Pense no que você deseja

O que você quer? O que te deixa animado, o que te faz vibrar? Não se deixe influenciar pelo que os outros pensam que você deseja, trate de pensar no que você deseja, no que te faz feliz. Todos temos sonhos e desejos que temos medo de realizar, mas a vida é curta e é hora de caminhar para aquilo que realmente queremos.

 Aja para ser feliz

Não basta só pensar, também é hora de começar a fazer tudo aquilo que você pode fazer para ir em direção ao seu sonhoSe você sempre quis ser atriz, comece se inscrevendo em um curso de teatro, por exemplo, vá a eventos que tenham a ver com teatro ou cinema, saia com pessoas que tenham os mesmos interesses que você e você irá começar a desfrutar o que te faz feliz.

“Em um minuto posso mudar a minha atitude, e nesse minuto posso mudar o dia inteiro.”  – Spencer Johnson

Abrande o ritmo da sua vida

Não é preciso tentar fazer tudo de uma só vez; pare um pouco e reflita sobre o que é urgente e o que pode esperar. Encontre um tempo para dedicar a si mesmopara aproveitar o que você mais gosta, quer seja passear à luz do luar, comer alguma coisa com seus amigos ou familiares, jantar com seu namorado. Sempre é possível encontrar esse momento para nós mesmos.

Valorize o que você sente

Os nossos sentimentos são importantes. Como a sua vida faz você se sentir atualmente? Do que é que você não gosta? Se você se sente triste, é hora de começar a fazer mudanças; comece por si mesmo, mude a sua forma de vestir, de arrumar o cabelo, de caminhar, mude a sua forma de se relacionar com os outros. Pense que você não vai perder nada, simplesmente vai ter experimentado algo novo e vai se divertir.

Se você precisa chorar, chore. Não importa se alguém estiver olhando, deixe a tristeza sair, não a retenha. Faça com que cada lágrima dissolva o que te preocupa, o que não te faz feliz. É necessário chorar para poder substituir essas lágrima por um belo sorriso depois.

 Aproveite a companhia das pessoas

Isolar-nos e não nos relacionarmos com outras pessoas nos distancia e faz com que afundemos ainda mais na nossa tristeza. Somos seres que precisam de abraços, beijos, carinho, palavras de ânimo e de consolo.

Precisamos estar com outras pessoas e desfrutar a sua alegria, seu sorriso contagioso. Talvez você não esteja com vontade de ver ninguém, mas muitas vezes, quando nos sentimos assim, acabamos saindo e aproveitando muito, pois não temos expectativas.

 O que você faria se não tivesse medo?

Essa é uma pergunta fundamental que você deve se fazer todos os dias para deixar de lado aquilo que te dá medo. Existem muitas maneiras de fazer as coisas, e é importante fazê-las de uma forma com a qual nos sentimos confortáveis. Muitas vezes, correr um risco pode nos fazer sentir que o medo é algo totalmente superável e criado por nós mesmos.

Sair da nossa zona de conforto, fazer algo arriscado, sentir um pouco de ansiedade todos os dias, independentemente de se vamos conseguir ou não; tudo isso poderá nos proporcionar a alegria de viver e de saber que vale a pena aproveitar cada segundo da nossa existência.

                        “Tudo parece impossível até que seja feito.” – Nelson Mandela

Via http://amenteemaravilhosa.com.br/

The Dragon


E você até quando vai permanecer tendo medo de se machucar?

Você é o Possível de toda transformação!
Klau, The Dragon Coach.

https://www.facebook.com/thedragoncoach
Telefone / WhatsApp: +55 (61) 99283-7346
e-mail: thedragoncoach@gmail.com

Anúncios

4 armadilhas da mente que podem lhe aprisionar

FB_IMG_1466285871347[1]

Na vida, lutamos contra muitas coisas, mas de longe a pior luta é aquela que temos diariamente contra nós mesmos. Nos sabotamos, nós matamos nossos próprios sonhos em uma guerra que só há perdedor. O principal guerreiro aqui é o nosso cérebro, uma pena que está em posição inimiga. Suas armas são algumas artimanhas para impedir o desenvolvimento da excelência psíquica, afetiva, social e até mesmo profissional. Seus ataques são ciladas sorrateiras que atuam em nossa mente e se tornam bloqueadores de lucidez e autoconsciência.

Mas como fugir disso? Como entrar em missão de paz com sua mente?

Para começar a dar passos nessa direção é necessário fazer rigorosamente e diariamente uma série de pequenos exercícios mentais, pequenas mudanças na sua forma de pensar, que com o passar do tempo se tornarão grandes. Isso irá agir diretamente no funcionamento primitivo de sobrevivência, que escolhe por trilhar caminhos menos arriscados e ameaçadores, o que não significa, necessariamente, que estes nos excluem do sofrimento e da insatisfação. Por esse motivo a importância de trabalhar estes aspectos.
Estas armadilhas do seu cérebro, em grande parte, são estratégias inconscientes da nossa natureza e todos possuímos, mas é importante nos atentar, fazer reflexões para que não sejamos controlados por elas:

 1- O conformismo

“O conformismo é carcereiro da liberdade e o inimigo do crescimento.” – John Kennedy

O conformismo caminha lado a lado daquilo que chamamos de estabilidade. Você se conforma porque sente medo de perder a suposta estabilidade, pensando ser isso, o mais importante.

Você permite que sua mente te encaminhe para pensamentos como: “Já está bom assim”, “E se eu arriscar e não conseguir?”, “Está ruim, mas pode ficar pior”.

O medo do futuro e das coisas ruins da vida acaba por te limitar, no entanto, nada pode ser mais prejudicial para o seu futuro do que a falta de paixão pela vida.

Assim, muitas pessoas acabam vivendo seus dias dentro de circunstâncias infelizes, e não tomam iniciativa de mudar de situação, afinal, estão condicionadas a uma vida de segurança, conformidade, e conservação, as quais aparentemente dão paz de espírito.

“Dizem que o que procuramos é um sentido para a vida. Penso que o que procuramos são experiências que nos façam sentir que estamos vivos.” – Joseph Campbell

 2- O coitadismo

No fundo, acaba sendo um nível mais avançado do conformismo. No coitadismo você tem pena de você mesmo por estar na situação que está. Sua atenção está voltada a se lamentar e não no que pode fazer para mudar. “Isso não é para mim”, “nada do que faço dá certo”, “sou um derrotado mesmo”.
Algumas características básica: Estar convencido de que não é capaz / tentar convencer os outros que é impotente / fazer questão de comentar suas crenças irreais de impotências e limitações.

“… que nada mais é do que nossa própria vontade do nada. Uma vez tendo dito sim ao instante, a afirmação é contagiosa. Ela explode numa cadeia de afirmações que não conhece limites. Dizer sim a um instante… é dizer sim a toda a existência.” – Waking Life

 3- O medo de reconhecer erros

Será que nos permitimos esquecer da nossa humanidade? O erro faz parte dos seres humanos, você sendo um deles, jamais estará livre de errar, então, qual é o mal de reconhece-los? Quem se amedronta com esta realidade está fadado ao sofrimento, ao desgaste físico e psíquico. Temer reconhecer seus erros é abdicar de todo potencial que poderia ser descoberto após transcendê-los. Defeitos, fragilidades, estupidez e incoerência nos formam e nos transformam continuamente. “O que vão pensar de mim se falar a verdade?”, “E agora? o que eu vou falar?”, “Não posso dizer que o erro foi meu”.

 “O maior erro na vida é o de ter sempre medo de errar.” – Elbert Hubbard

 4- O medo de correr riscos

“Eu queria mas…”, “E se acontecer…”, “Não sei se sou capaz de suportar se der errado”. E assim começa o plano que será abandonado rapidamente.

É certo que o medo é importante, no entanto, se este passar do limite, te impedirá de concluir qualquer desejo. Na vida, existem muitas barreiras a serem ultrapassadas, use-as como objetivos, não somente para alcançar suas vontades, mas para o seu crescimento pessoal.

Se você se identificou com uma, ou várias destas ciladas, está na hora de botar a mão na massa: Questione-se quando estes sentimentos e pensamentos surgirem. Procure fazer perguntar duras e objetivas a si mesmo: Com base em quais experiências eu estou pensando desta maneira? O que eu posso fazer para fazer diferente desta vez e atingir os meus objetivos? O que é possível fazer para controlar os meus medos e inseguranças? Escreva de forma manuscrita e observe as referencias que sua mente irá buscar para responder as perguntas. [Psiconlinews]

“Minha qualidade soberana é o domínio de mim. Mas ninguém tem maior necessidade dela que eu; ladeio sempre o abismo.” — Friedrich Wilhelm Nietzsche, in Vontade de Potência

 Por: Isadora Tabordes via http://www.equilibrioemvida.com/

Isadora Tabordes – Cofundadora e desenvolvedora do site Vida em Equilíbrio, estudante de Filosofia na Universidade Federal de Pelotas. Apaixonada por diversas áreas do conhecimento, com uma grande limitação para exatas


E você tem sabotado seus sonhos? Venha libertar sua mente e encontrar o sentido da vida!

Você é o maestro de toda transformação!
Klau, The Dragon Coach.

https://www.facebook.com/thedragoncoach
Telefone / WhatsApp: +55 (61) 99283-7346
e-mail: thedragoncoach@gmail.com

Dicas Transformadoras

 iStock_000045999394_Full1[1]

10 dicas transformadoras inspiradas na obra do grande poeta Rumi.

1 . Desafie o medo

Fuja do que é confortável. Esqueça a segurança. Viva no lugar onde você tem medo de viver. Destrua sua reputação. Seja notório.

2 . Seja corajoso

Não se contente com as histórias que vieram antes de você. Desvende seu próprio mito.

3. Seja grato

Use a gratidão como uma capa e ela preencherá todos os buracos de sua vida.

4 . Aja

Por que eu deveria ficar no fundo de um poço, se eu tenho uma corda forte em minhas mãos?

5. Tenha fé

À medida que você começar caminhar, aparece o caminho.

6. Abrace contratempos

Se você fica irritado com cada atrito, como você vai ser lapidado?

7. Olhe para dentro

A sua tarefa não é buscar o amor, mas apenas procurar e encontrar todas as barreiras dentro de si mesmo, que você construiu para se proteger contra o amor.

8. Aprenda com o sofrimento

A ferida é o lugar por onde a luz entra em você.

9. Não se preocupe com o que os outros pensam de você

Eu quero cantar como os pássaros cantam , não me preocupar com quem ouve ou o que eles pensam .

10. Faça o que você ama

Deixe-se ser atraído pela força pungente do que você realmente ama.

 Rumi

Postado no grupo Coração Feminino: O Despertar Conjunto

The Dragon


E você já se decidiu pela transformação? Venha! Vamos iniciar sua transformação.

Você é o maestro de toda transformação!
Klau, The Dragon Coach.

https://www.facebook.com/thedragoncoach
Telefone / WhatsApp: +55 (61) 99283-7346
e-mail: thedragoncoach@gmail.com

Coragem

Coragem e vontade

“Inseguro quanto ao que fazer, não tente. Suas dúvidas e hesitações contaminarão os seus atos. A timidez é perigosa: melhor agir com coragem. Qualquer erro cometido com ousadia é facilmente corrigido com mais ousadia. Todos admiram o corajoso, ninguém louva o tímido”.

A pessoa corajosa não é a que jamais tem medo. Nós, seres humanos, temos medo. É preciso dar ouvido aos nossos medos: eles são um precioso sistema de alarme diante dos perigos do cotidiano. Mas não é bom submeter-se a eles: às vezes, esse sistema fica desregulado. Como uma espécie de alergia, um medo pode tomar corpo e transformar em fobia.
“A dúvida e o medo são as duas portas que todo ser humano tem que atravessar para conhecer e obter sua plena e completa liberdade.”

Assumir com coragem, momentos dramáticos de nossa existência, podem contagiar, inspirar um grupo inteiro. Foi a chave para a coragem demonstrada por aqueles que, em silêncio, suportaram insultos ao se unir a Gandhi e a Martin Luther King Jr., em atos de protesto pacífico, para despertar a consciência pública contra a injustiça.

Um ato de coragem como de Rosa Parks. A recusa em ir para o lugar reservado aos negros no ônibus, em 1955, marcou um momento histórico: o início do movimento que traria o fim da segregação legal nos Estados Unidos. É preciso coragem para dizer não!

TEXTO

“Ter coragem não é algo que requeira qualificações excepcionais, fórmulas mágicas, nem combinações especiais de hora, lugar e circunstância. É uma oportunidade que mais cedo ou mais tarde é apresentada para cada um de nós”.

Nas palavras de Osho: “Continuamos a perder muitas coisas na vida só por causa da falta de coragem. Na verdade, nenhum esforço é necessário para conquistar – só é preciso coragem – e as coisas começarão a vir até você, em vez de você ir atrás delas. Pelo menos no mundo interior é assim. E para mim, ser feliz é a maior coragem. Ser infeliz é uma atitude muito covarde. Na realidade, para ser infeliz, não é preciso nada. Qualquer covarde pode ser, qualquer tolo pode ser. Todo mundo é capaz de ser infeliz; para ser feliz é preciso coragem – é um risco tremendo”.

Todos nós temos fraquezas e nossos esforços nunca são perfeitos. Mas estamos aqui para aprender, experimentar e cometer erros. Ora, nós existimos numa rocha de pedra que gira à volta de uma bola de fogo que faz parte de um sistema solar menor, no extremo de todas as galáxias. Quão pequenos é que somos? Creio que estamos aqui para criar um mundo novo e melhor para todos. É para isso e por isso que estamos aqui. É o que eu acredito. É o que podemos oferecer.

Portanto, sigamos essas palavras: É preciso coragem Pra viver a vida, pra curar as feridas, pra existir.

É preciso coragem pra lutar, pra perder, pra ganhar

É preciso coragem pra construir, pra persistir, pra conquistar

É preciso coragem, é preciso sim, pra parar, pra pensar, pra aceitar que eu tive coragem, de ser feliz!

Por: José Silveira via http://obviousmag.org

The Dragon


E você está triunfando sobre o medo? Está sendo Corajoso? 

 Você é o maestro de toda transformação!
Klau, The Dragon Coach.

https://www.facebook.com/thedragoncoach
Telefone / WhatsApp: +55 (61) 99283-7346
e-mail: thedragoncoach@gmail.com

Não Sou Fria, só Tenho Medo de que me Machuquem

FB_IMG_1464284292131[1]

Vivemos em uma sociedade onde parece que sentir é mal visto.

Crianças aprendem que chorar é ruim, porque é coisa de meninas e demonstra fragilidade. Jovens preferem relacionamentos de uma noite para não se machucarem. Adultos têm relacionamentos de casal com pessoas que não amam. Idosos vivem na solidão porque são vistos como um estorvo. É hora de superar o medo de sentir. Onde está a nossa humanidade?

É difícil ver duas pessoas se dando um abraço na rua sem que sejam um casal, dizer “gosto de você” sem que soe esquisito, chorar sem sentir culpa ou vergonha. Parece que vivemos na cultura do “não sentir”, porque se sentimos ou falamos dos nossos sentimentos, seremos considerados pessoas frágeis. Assim, em vez de receber um abraço com empatia e carinho, recebemos injúrias.

“Quantas coisas perdemos por medo de perder.” – Paulo Coelho

 O medo de que nos machuquem

Imagine que você vai caminhando por um bosque e já escureceu. De repente você vê uma sombra e algo que se move, o seu cérebro coloca o seu corpo em alerta antes de identificar se trata de um animal ou se é simplesmente o vento. Esta forma de reagir se deve ao nosso instinto de sobrevivência. No cérebro existe uma pequena estrutura denominada amígdala, que processa as experiências de medo.

A amígdala é um botão de emergência que se ativa quando há um perigo à espreita. O doutor de Psicobiologia da UAM, Luis Carretié, sustenta que o sistema é capaz de ativar a resposta mesmo antes de sermos conscientes do perigo.

Duas pesquisas publicadas em 2010 na revista Nature, realizadas pela equipe do neurobiólogo David J. Anderson, do Instituto Tecnológico da California (CalTech), e do professor Andreas Lüthi, do Friedrich Miescher Institute (FMI), decifraram o funcionamento do que chamam de “o círculo do medo”.

Os estudos comprovaram a existência de dois tipos de células na amígdala que se alternam para abrir e fechar as “portas” do medo. Mas Carretié sustenta que as pesquisas realizadas precisam ser consideradas com cautela, porque os humanos são influenciados por outros fatores com relação ao medo. Por exemplo, o córtex pré-frontal também tem um papel importante, já que é quem coloca a situação em contexto e faz com que a resposta não seja tão automática, e sim mais elaborada.

“Nos envelhece mais a covardia do que o tempo, os anos só criam rugas na pele, mas o medo dá rugas na alma.” – Facundo Cabral

Se uma pessoa nos fere, seja um amor, um chefe ou um familiar, inclusive com palavras que ferem, a resposta da amígdala seria responder ativamente, mas o córtex pré-frontal coloca tudo em contexto e faz que tenhamos alguns momentos de reflexão, se possível, antes de agir. Por outro lado, é preciso considerar que o medo está muito condicionado pelas próprias experiências e pode chegar a bloquear os sentimentos.

Como superar o medo da ferida

Algumas vezes, ou muitas, você foi ferido, mas isso não significa que vá se repetir sempre, nem que tenhamos que mudar o nosso jeito de agir. Frente a esta situação, consideremos algumas ideias como uma forma de refletir e retirar a couraça que cobre os nossos sentimentos.

Reconhecer o que nos dá medo

O primeiro passo e talvez o mais complicado para superar um medo é reconhecê-lo. O que aconteceu no passado que nos provoca medo? Do que temos medo e por quê? Uma reflexão profunda sobre isso nos ajudará a entender o que está acontecendo e a ter uma visão realista do problema.

Conhecer os nossos sentimentos

Sentimos muitas coisas e às vezes guardamos esses sentimentos no mais profundo de nós mesmos por vergonha ou medo, sem perceber que ao colocar essa couraça estamos nos prejudicando. Talvez precisemos da ajuda de outras pessoas para falar disso ou de um especialista, mas o importante é aprender a se conhecer e a viver o que sentimos.

Expressar-se através da arte

A dança, a pintura, a escrita e todas as manifestações artísticas podem nos ajudar a nos expressar e a colocar para fora o que sentimos, com valentia e sem medo. O importante é procurar alguma atividade da qual gostamos e que estimule a nossa expressão e o nosso sentir.

“Os sentimentos e as emoções são a linguagem universal que precisa ser honrada. São a expressão autêntica de quem somos.” – Judith Wright

Por: Aran Andrade via http://amenteemaravilhosa.com.br/

The Dragon


E você até quando vai permanecer tendo medo de se machucar? Vamos!Venha perder esse medo!

Você é o maestro de toda transformação!
Klau, The Dragon Coach.

https://www.facebook.com/thedragoncoach
Telefone / WhatsApp: +55 (61) 99286-5192
e-mail: thedragoncoach@gmail.com