Quase um Ho’oponopono!

 e23a5ff44e08cb66967cd6e73ece79a91
A palavra Ho’oponopono significa reparar ou corrigir um erro. Ho’o significa causa e ponopono quer dizer perfeição.
Em breves palavras, Ho’oponopono é uma técnica para amenizar os problemas que vivenciamos em nossa vida, assumindo a responsabilidade por se exposto a situações desagradáveis (criticas, aborrecimentos, desentendimentos…) e também pelo próprio restabelecimento da paz em si mesmo, entrando em sintonia com Deus, o criador, para que qualquer memória dolorosa do passado seja diluída na imensidão do universo cósmico.
Eu Acolho: você compreende que aquela situação que foi vivenciada por você precisa ser resolvida (reconhecimento).
Perdão: você pede a Deus que cure (apague) o que está acontecendo dentro de você que se manifesta como um problema na sua vida (Deus dentro de você lhe ajudará a se perdoar).
Amor: você não rejeita aquele problema e expressa amor, pois sabe que a sabedoria de Deus é capaz de transmutá-la, basta amar (o amor Transmuta a energia negativa, apagando-a ).
Deixo ir: você agradece a Deus pela sabedoria divina que atuará nas suas memórias, que fizeram você vivenciar aquela experiência ( a fé no poder maior do Criador).

Quando sofremos desaforos e críticas abusivas, quando sentimos raiva, irritação em excesso e não conseguimos trabalhar as energias desse sofrimento, internalizando-os, gerando assim mágoas e ressentimentos, sentimos os reflexos nos chacras.

É como se nódulos fossem criados junto a esses pontos energéticos e o reflexo em cada chacra se faz sentir de forma e intensidade diferenciada dependendo da pessoa. Mais em uns menos em outros, tudo a depender da “re(ação)” aos acontecimentos e do grau de absorção das energias desequilibrantes.

As ondas de energias que se localizam nos chacras, perturbam-se, desequilibram-se e ondas de desamor a você mesmo passam a te envolver.

Por exemplo: A onda de energia que se localiza na região da garganta (Chacra Laríngeo), perturba-se e as energias viciadas passam a envolver toda a região, provocando engasgos – devido as energias ruins – e promovendo a perda da respiração. Isso vai te entristecer e causar um enorme desânimo.

Faça o seguinte exercício:

Busque um lugar aconchegante, coloque uma música ambiente. Inspire e expire suavemente e nesse movimento permita que suas pálpebras fechem-se vagarosamente e repita – com fé e com um desejo ardente e verdadeiro – por várias vezes as palavras abaixo:  “Eu acolho em minha vida interior a energia do perdão, da aceitação e do amor. Deixo ir de minha vida essa experiência infeliz e as pessoas nela envolvidas .” 

Depois visualize a imagem do sol, com sua luz intensa e radiante, a iluminar todo o seu corpo e penetrando através do seus chacras e principalmente o laríngeo.

Faça uma prece de agradecimento a Deus pela beleza do perdão do amor que está vivenciando.

Nunca mais permita se contaminar por energias estranhas a sua vida. Não dê guarida ao desequilíbrio. Harmonize-se com a mais pura energia do universo – Deus.

Lembre-se: Vós sois deuses…

The Dragon


VENHA! VAMOS EXERCITAR O HO'OPONOPONO! VAMOS MUDE SUA ENERGIA!

Você é o Harmonia de toda transformação!

Klau, The Dragon Coach.

https://www.facebook.com/thedragoncoach

Telefone / WhatsApp: +55 (61) 99283-7346
e-mail: thedragoncoach@gmail.com

 

 

 

Anúncios

O conto do elefante e da mosca

felicidade-consigo-mesmo

Um pequeno conto e um grande ensinamento. Leia e tire sua própria conclusão. Mente equilibrada, vida equilibrada.

Um discípulo e seu mestre estavam caminhando no bosque. O discípulo se sentiu perturbado pelo fato da sua mente estar sempre numa agitação constante.

O aprendiz perguntou ao seu mestre: “Por que a maior parte das pessoas têm a mente inquieta e apenas algumas possuem uma mente tranquila? O que se pode fazer para acalmar a mente?”

O professor olhou para o discípulo, sorriu e disse: “Vou lhe contar uma história”.

Um elefante estava de pé comendo as folhas de uma árvore. Uma pequena mosca chegou e voou perto dele, fazendo um desagradável zumbido perto do seu ouvido. O elefante agitou as suas grandes orelhas para afastar a mosca, mas pouco depois ela apareceu de novo e o elefante voltou a sacudir as orelhas. Isto se repetiu várias vezes.

Após várias tentativas fracassadas de espantar definitivamente a mosca, o elefante se dirigiu a ela e perguntou:– “Por que você está tão inquieta e faz tanto barulho? Por que não pode ficar parada durante algum tempo em um só lugar?”

A mosca respondeu: 

 Sou atraída pelo que vejo, pelo que escuto e pelo que cheiro. Os meus cincos sentidos cobram tudo o que acontece ao meu redor e não consigo me controlar. Qual é o seu segredo, elefante? Como você consegue estar tão tranquilo e quieto?”

O elefante deixou de comer e disse:

“Os meus cinco sentidos não mandam na minha atenção. Tenho controle sobre ela e posso direcioná-la para onde quero. Isso ajuda a me concentrar em tudo o que faço e, assim, manter sempre a minha mente focada e tranquila. Agora que estou comendo, estou totalmente concentrado na comida. Desta forma, posso desfrutar da minha refeição e mastigar melhor. Eu controlo a minha atenção e não o contrário! E isto me ajuda a estar tranquilo.”

The Dragon


E VOCÊ TEM CONTROLADO SUA MENTE, SUA ATENÇÃO? VENHA! VAMOS ENCONTRAR O EQUILÍBRIO.

Você é o Equilíbrio de toda transformação!

Klau, The Dragon Coach.

https://www.facebook.com/thedragoncoach

Telefone / WhatsApp: +55 (61) 99283-7346
e-mail: thedragoncoach@gmail.com

A liberdade de amadurecer

maturidade_21

Quando decidimos não ter mais a “necessidade compulsiva” de controlar tudo e todos, estamos inevitavelmente caminhando para nos tornamos pessoas maduras.

A pessoa madura nasce no exato momento que decide agir fazendo a diferença onde pode promover a transformação, entendendo e aceitando o que não pode mudar. Bem assim! deixa acontecer. Simplesmente assim! Compreende que a vida é um fluir constante rumo a conquistas maiores.

A pessoa madura enxerga no passado um repositório de experiências e ensinamentos. Não sente a necessidade de mudar, arrumar ou reparar  – o passado – apenas aprendem com ele, como todo bom aluno.

A Pessoa madura olha para o futuro na certeza de que o melhor acontecerá. Não permanece sonhado ou necessitando modelar o futuro…. Trabalha na construção de um mundo melhor.

A Pessoa madura entendem que hoje (presente) é o melhor momento para fazer acontecer. Que hoje é o melhor momento de aprender com o passado e trabalhar na construção do futuro. Que hoje é a melhor oportunidade e a melhor possibilidade de fazer a diferença.

A pessoa madura não se punem por possuir limitações, simplesmente as aceitam e tentam melhorar. Sabem que nem sempre tudo acontece como quer, mas cada erro é uma boa oportunidade para o crescimento pessoal.

Vários são os caminhos para o amadurecimento. Mas o melhor atalho é: fazer o seu melhor, dia após dia e assim ser livre pois o amadurecer é libertador, isto é, LIBERTA DA DOR.

The Dragon


E VOCÊ ESTÁ AMADURECENDO? AMADURECER É CONQUISTAR A LIBERDADE!

Você é o maestro de toda transformação!
Klau, The Dragon Coach.

https://www.facebook.com/thedragoncoach
Telefone / WhatsApp: +55 (61) 99283-7346
e-mail: thedragoncoach@gmail.com

Coragem

Coragem e vontade

“Inseguro quanto ao que fazer, não tente. Suas dúvidas e hesitações contaminarão os seus atos. A timidez é perigosa: melhor agir com coragem. Qualquer erro cometido com ousadia é facilmente corrigido com mais ousadia. Todos admiram o corajoso, ninguém louva o tímido”.

A pessoa corajosa não é a que jamais tem medo. Nós, seres humanos, temos medo. É preciso dar ouvido aos nossos medos: eles são um precioso sistema de alarme diante dos perigos do cotidiano. Mas não é bom submeter-se a eles: às vezes, esse sistema fica desregulado. Como uma espécie de alergia, um medo pode tomar corpo e transformar em fobia.
“A dúvida e o medo são as duas portas que todo ser humano tem que atravessar para conhecer e obter sua plena e completa liberdade.”

Assumir com coragem, momentos dramáticos de nossa existência, podem contagiar, inspirar um grupo inteiro. Foi a chave para a coragem demonstrada por aqueles que, em silêncio, suportaram insultos ao se unir a Gandhi e a Martin Luther King Jr., em atos de protesto pacífico, para despertar a consciência pública contra a injustiça.

Um ato de coragem como de Rosa Parks. A recusa em ir para o lugar reservado aos negros no ônibus, em 1955, marcou um momento histórico: o início do movimento que traria o fim da segregação legal nos Estados Unidos. É preciso coragem para dizer não!

TEXTO

“Ter coragem não é algo que requeira qualificações excepcionais, fórmulas mágicas, nem combinações especiais de hora, lugar e circunstância. É uma oportunidade que mais cedo ou mais tarde é apresentada para cada um de nós”.

Nas palavras de Osho: “Continuamos a perder muitas coisas na vida só por causa da falta de coragem. Na verdade, nenhum esforço é necessário para conquistar – só é preciso coragem – e as coisas começarão a vir até você, em vez de você ir atrás delas. Pelo menos no mundo interior é assim. E para mim, ser feliz é a maior coragem. Ser infeliz é uma atitude muito covarde. Na realidade, para ser infeliz, não é preciso nada. Qualquer covarde pode ser, qualquer tolo pode ser. Todo mundo é capaz de ser infeliz; para ser feliz é preciso coragem – é um risco tremendo”.

Todos nós temos fraquezas e nossos esforços nunca são perfeitos. Mas estamos aqui para aprender, experimentar e cometer erros. Ora, nós existimos numa rocha de pedra que gira à volta de uma bola de fogo que faz parte de um sistema solar menor, no extremo de todas as galáxias. Quão pequenos é que somos? Creio que estamos aqui para criar um mundo novo e melhor para todos. É para isso e por isso que estamos aqui. É o que eu acredito. É o que podemos oferecer.

Portanto, sigamos essas palavras: É preciso coragem Pra viver a vida, pra curar as feridas, pra existir.

É preciso coragem pra lutar, pra perder, pra ganhar

É preciso coragem pra construir, pra persistir, pra conquistar

É preciso coragem, é preciso sim, pra parar, pra pensar, pra aceitar que eu tive coragem, de ser feliz!

Por: José Silveira via http://obviousmag.org

The Dragon


E você está triunfando sobre o medo? Está sendo Corajoso? 

 Você é o maestro de toda transformação!
Klau, The Dragon Coach.

https://www.facebook.com/thedragoncoach
Telefone / WhatsApp: +55 (61) 99283-7346
e-mail: thedragoncoach@gmail.com

O coração das boas pessoas é cheio de lágrimas guardadas

FB_IMG_1462222200847[1]

No coração das boas pessoas não cabe o sentimento de tristeza. Elas lutam pelos outros, nunca dizem não e são o melhor apoio em qualquer momento de necessidade. No entanto, quando choram o fazem escondidas porque não podem mais continuar, porque estão cansadas demais de serem fortes e suas almas necessitam dessas lágrimas para melhorar.

Esse tipo de situação de alta carga emocional é muito comum nas pessoas acostumadas a dar tudo de si por quem está ao seu redor. Chamamos essas pessoas de “boas pessoas” e, ainda que todos nós consigamos separar muito bem o que é bom e o que é ruim, existem determinadas personalidades muito mais aptas a gerar bem-estar aos outros. Assim, essas pessoas são mais sujeitas a ficarem sobrecarregadas, a se decepcionarem e a sofrerem emocionalmente.

Choramos lágrimas escondidas que ninguém vê, liberamos tensões, medos e tristezas em cantos escuros para não sermos descobertos, para que ninguém perceba que fomos feitos do mesmo material de todas as outras pessoas.

Goethe, o poeta, dramaturgo e novelista, grande especialista portanto em emoções humanas, costumava dizer que quem nunca terminou uma refeição e depois se fechou e algum lugar para chorar nunca provou o autêntico sabor da vida. As pessoas choram por muitas e diversas razões, mas há quem simplesmente o faça porque está cansado de aparentar que pode com tudo. Que é invencível.

Vamos nos aprofundar nesse aspecto.

Por que as boas pessoas choram escondidas

Falamos no início que é comum categorizar as pessoas como boas pessoas se essas têm a personalidade mais orientada para os outros do que para si mesmas. São comportamentos que encontram a felicidade fazendo o bem, dando tudo em troca de nada. É portanto um altruísmo cheio de dignidade que é muito admirável de tão humilde. Mas, por sua vez, é também muito duro para a pessoa.

Um costume muito frequente nesse tipo de perfil é que a pessoa prefere sofrer emocionalmente em solidão, ao invés de compartilhar seus sentimentos com outras pessoas. Isso se dá dessa maneira – ao menos na maioria das vezes – por vários aspectos psicológicos que foram definidos pela Universidade de Ciências da Saúde no Japão. A raiz desses comportamentos foi retratada em um interessante estudo publicado na revista médica “Library of Medicine National Institutes of Health“.

Nessa pesquisa foi analisado o trabalho de 300 enfermeiras ao longo de um ano. Segundo as próprias enfermeiras explicaram, em alguns casos elas são obrigadas a enfrentar situações muito duras, de alta carga emocional. Quando precisam desabafar, as enfermeiras preferiam fazer isso em solidão porque sentiam que era muito mais catártico, alcançavam um bem-estar mais reparador desse modo. Bastavam alguns minutos de choro em rigorosa solidão para depois voltarem para suas responsabilidades.

A psicologia das lágrimas

Choramos para nos libertar, para transformar a tensão em água salgada. Choramos para que o medo encontre o alívio e para que a tristeza se transforme em um choro capaz de consolar. A forma como fazemos isso, seja junto a alguém ou sozinhos como no caso das enfermeiras, não tem qualquer importância. O essencial é que consigamos alcançar uma cura adequada de acordo com as nossas necessidades particulares.

As lágrimas jamais serão reflexo de fraqueza, mas sim da capacidade de ser forte.

Um aspecto em que há unanimidade é que no geral são as mulheres as pessoas que costumam exercer mais o papel de cuidadoras. São elas que, com grandeza em seus corações, dão tudo a troco de nada pelos seres que amam, sejam seus filhos, seus parceiros ou suas famílias… Por isso estudos como o realizado pela Organização Holandesa para a Investigação Científica falem das lágrimas da mulher como um tipo de linguagem interior com grande utilidade emocional.

As lágrimas: biologia, psicologia e catarse

Podemos observar e entender as lágrimas desde perspectivas diferentes:

  • Segundo a biologia, existiria na verdade uma razão pela qual as mulheres têm mais facilidade na hora de chorar. A resposta está na testosterona, que no caso do homem atuaria como inibidora do choro, ao mesmo tempo em que o hormônio prolactina, muito mais elevado nas mulheres, facilita a liberação das lágrimas.
  • Para muitos psicólogos as lágrimas nos ajudam a ter uma melhor compreensão de nosso mundo interior e de nossas necessidades. Esta expressão emocional atua primeiro como um tranquilizante, para depois nos permitir ver com uma clareza mental mais adequada as nossas necessidades que não estão sendo atendidas, que requerem sem dúvida uma mudança em nosso modo de ser.
  • O poder catártico das lágrimas pode alcançar um maior benefício se recorrermos ao bom choro. Segundo os especialistas, as lágrimas emocionais liberadas durante esse processo contêm muito mais proteínas e, desse modo, têm um poder curativo no organismo da pessoa.

Para concluir, as boas pessoas costumam chorar escondidas porque desse modo conseguem um maior consolo e intimidade para poderem ser elas mesmas sem uma armadura, sem uma couraça que esconde o que está por dentro. As armaduras sempre pesam e, ainda que um bom choro tranquilize e desfaça amarguras e decepções, nunca é demais priorizar a si mesmo de vez em quando e colocar limites para atender um pouco melhor o coração que, longe de ser de pedra, é de carne, sonhos e lágrimas salgadas.

Por: Valéria Amado via http://amenteemaravilhosa.com.br/

The Dragon


E Você tem transformado lágrimas em força?

Você é o maestro de toda transformação!
Klau, The Dragon Coach.

https://www.facebook.com/thedragoncoach
Telefone / WhatsApp: +55 (61) 99286-5192
e-mail: thedragoncoach@gmail.com

O Amor Verdadeiro não Julga

jp-bPostsReal226358e7acf197ab062a0af2a135679f

Vamos Refletir…

O amor verdadeiro julga? Não. O amor verdadeiro perdoa, acolhe, transforma.

A peça de teatro intitulada "Raisin in the sun", de Lorraine Hansberry, traz um trecho realmente admirável, que convida o público a refletir sobre os valores que guardam suas almas.

Na peça, uma família afro-americana recebe uma grande quantia em dinheiro provenientes do seguro de vida do pai.

A mãe vê no dinheiro a oportunidade de abandonar a vida difícil que vivia no Harlem, e mudar-se para uma casa no campo, onde a qualidade de vida seria muito mais satisfatória.

A filha, uma moça muito inteligente, vê no dinheiro a sua maior oportunidade. Poderia estudar medicina e realizar assim seu sonho.

O filho mais velho, contudo, tem outros planos na aplicação do dinheiro. Ele apresenta um argumento difícil de ser ignorado. Ele propõe que o dinheiro seja utilizado para a dar início a um negócio em conjunto com um amigo.

Para convencer a família  ele alega que poderá trabalhar por conta própria e facilitar a vida de todos. Promete que, se puder lançar mão do dinheiro, proporcionará à família todos os confortos que a vida proporciona.

A mãe pensa e mesmo a contra gosto resolve ceder aos apelos do filho. Ela entendeu ser uma boa oportunidade para o filho. Ela tem de admitir que as oportunidades nunca foram tão boas para ele, e que ele merece essa oportunidade que a vida está lhe oferecendo.

No entanto o tal “amigo” foge da cidade com o dinheiro. Desolado, o filho é forçado a voltar para casa e dizer à família que suas esperanças para o futuro lhe foram roubadas e que seus sonhos de uma vida melhor foram desfeitos.

A irmã atira-lhe no rosto toda sorte de insultos. Qualifica-o com as palavras mais grosseiras que se possa imaginar. Seu desprezo em relação ao irmão não tem limites.

Quando ela para um pouco para respirar, a mãe a interrompe e diz: “pensei que tivesse ensinado você a amar seu irmão.”

A filha então responde: “amar meu irmão? Não restou nada nele para eu amar.”

E a mãe diz: “sempre sobra alguma coisa para amar. E, se você não aprendeu isso, não aprendeu nada. Você chorou por ele hoje?”

Não estou perguntando se você chorou por causa de si mesma e de nossa família, por termos perdido todo aquele dinheiro. Estou perguntando se chorou por ele: por aquilo que ele sofreu e pelas conseqüências que terá de enfrentar.

Filha, quando você acha que é tempo de amar alguém com mais intensidade? No momento em que faz coisas boas e facilita a vida de todos?

Bem, então você ainda não aprendeu nada, porque esse não é o verdadeiro momento para amar. Devemos amar quando a pessoa está se sentindo humilhada e não consegue acreditar em si mesma, porque o mundo a castigou demais.

Se julgar alguém, faça-o da forma certa, filha, da forma certa. Tenha a certeza de que você levou em conta os revezes que ele sofreu antes de chegar ao ponto em que está agora.

Essa é a graça misericordiosa! É o amor ofertado quando não se fez nada para merecê-lo. É o perdão concedido quando não se fez nada para conquista-lo.

É a dádiva que flui como as águas refrescantes de um riacho para extinguir as labaredas provocadas por palavras de condenação carregadas de ira.

O amor que o pai nos oferece é muito mais abundante e generoso. A misericórdia de Deus é muito mais grandiosa e sábia.

Klau, The Dragon Coach, baseado no capítulo “Sempre resta alguma coisa para amar”, da obra “Histórias para o coração” – organizado por Alice Gray

Vamos Refletir…

Julgar é diferente de analisar. Julgar os outros é criar barreiras na convivência, considerando o que você  imagina e sente sobre o outro.

Não julgue… analise… analisar é uma postura que reflete maturidade. E quando usamos do discernimento na análise estamos sendo maduros emocionalmente.

Alie o discernimento (razão) ao sentimento (coração) e reflita na condição que esta impondo ao outro e verás a oportunidade de amar verdadeiramente. Crie a oportunidade de amar de verdade.

Por mais que as pessoas, com suas imperfeições, tragam-nos mágoa, dor, sofrimento, desapontamento ou desilusão, lembremos de que sempre resta alguma coisa para amar.

The Dragon


REFLITA! LEMBRE-SE "SEMPRE SOBRA ALGUMA COISA PARA AMAR"!

Você é o maestro de toda transformação!
Klau, The Dragon Coach.

https://www.facebook.com/thedragoncoach
Telefone / WhatsApp: +55 (61) 99283-7346
e-mail: thedragoncoach@gmail.com

É preciso amar a si mesmo

como-se-amar-mais

Quando me amei de verdade, compreendi que em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa, no momento exato.
E então, pude relaxar.
Hoje sei que isso tem nome… Auto-estima.

Quando me amei de verdade, pude perceber que minha angústia, meu sofrimento emocional, não passa de um sinal de que estou indo contra minhas verdades.
Hoje sei que isso é…Autenticidade.

Quando me amei de verdade, parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento.
Hoje chamo isso de… Amadurecimento.

Quando me amei de verdade, comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma situação ou alguém apenas para realizar aquilo que desejo, mesmo sabendo que não é o momento ou a pessoa não está preparada, inclusive eu mesmo.
Hoje sei que o nome disso é… Respeito.

Quando me amei de verdade comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável… Pessoas, tarefas, tudo e qualquer coisa que me pusesse para baixo. De início minha razão chamou essa atitude de egoísmo.
Hoje sei que se chama… Amor-próprio.

Quando me amei de verdade, deixei de temer o meu tempo livre e desisti de fazer grandes planos, abandonei os projetos megalômanos de futuro.
Hoje faço o que acho certo, o que gosto, quando quero e no meu próprio ritmo.
Hoje sei que isso é… Simplicidade.

Quando me amei de verdade, desisti de querer sempre ter razão e, com isso, errei muitas menos vezes.
Hoje descobri a… Humildade.

Quando me amei de verdade, desisti de ficar revivendo o passado e de preocupar com o futuro. Agora, me mantenho no presente, que é onde a vida acontece.
Hoje vivo um dia de cada vez. Isso é… Plenitude.

Quando me amei de verdade, percebi que minha mente pode me atormentar e me decepcionar. Mas quando a coloco a serviço do meu coração, ela se torna uma grande e valiosa aliada.
Tudo isso é… Saber viver! 

Kim e Alison McMillen


Quando você parar de frente ao espelho…  e se encantar consigo mesmo;

Quando você parar de frente ao espelho… e dar uma piscadinha pra si mesmo;

Quando você parar de frente ao espelho… e disser pra si mesmo como você está lindo(a);

É sinal que está no caminho…

É sinal de que está começando a amar a si mesmo, começando a aprender a VIVER.

The Dragon


E VOCÊ O QUANTO TEM SE AMADO? VENHA APRENDER A AMAR A SI MESMO! VENHA SABER VIVER!

Você é o maestro de toda transformação!
Klau, The Dragon Coach.

https://www.facebook.com/thedragoncoach
Telefone / WhatsApp: +55 (61) 99283-7346
e-mail: thedragoncoach@gmail.com

Delícias Maduras

maturidade_[1]

“Maturidade acalma. Traz sossego. Nos livra de melindres. Gente madura olha nos olhos. Não faz chantagem emocional nem sufoca com suas carências. Gente madura compreende, não cria caso, não age pra atingir nem faz uso de indiretas. Aliás ser maduro é ser direto, objetivo. É respeitar a opinião alheia pois quer que a sua também seja respeitada. É aprender com os erros, ao invés de paralisar com eles.
É ouvir mais do que fala e escutar com atenção, pois é assim que procede o aprendizado. Gente madura ri de si mesma pois sabe que o sorriso é a chave para muitas portas que a vida nos apresenta. Sabe que o bom humor é chique, que gente feliz brilha, sem precisar de Sol. E sabe também que alegria de verdade não se forja, se exercita com as próprias dificuldades da vida.
Gente madura sabe o que é ser feliz. Anda devagar, por que já teve pressa e percebeu que ela não é só inimiga da perfeição. Gente madura sabe que a pressa faz passar despercebido o que realmente nos ilumina o coração. ” – Erick Tozzo

Maturidade abre as portas a reciprocidade… e reciprocidade é a coluna (o segredo) de todo relacionamento.

E… a reciprocidade vai ser plena quando plena é a sintonia no amar.

No momento em que amamos a nós mesmos e temos plena consciência do quem somos conseguimos entender que amor, carinho, desejo, respeito e gratidão devem ser compartilhados na medida exata que gere sintonia e harmonia. Nem mais …nem menos… dê amor a quem te da amor…

Amor… maturidade… reciprocidade… sintonia… são segredos que nos permite amar na medida certa fazendo com que aconteça uma explosão de sentimentos que nos faz “TREMER” sem que entendamos o porquê?

Maturidade é o que nos permite viver amando a qualquer tempo como adolescentes inconsequentes.

The Dragon


E você já descobriu o segredo? Venha aprender a ser maduro e praticar a reciprocidade.

 

Você é a Maturidade de toda transformação!
Klau, The Dragon Coach.

https://www.facebook.com/thedragoncoach
Telefone / WhatsApp: +55 (61) 99283-7346
e-mail: thedragoncoach@gmail.com

Bodas de Vinho – Amor e Diálogo

velhinhos-longevidade[1]

Aquele simpático casal de olhos vivos e mente lúcida, acostumados a fortes emoções, acordou naquela manhã, com uma sensação nunca antes sentida. Afinal de contas estavam completando setenta anos de união. Ora, ora não são sete dias… são aproximadamente 25.700 dias caminhando na mesma estrada chamada casamento.

Haviam envelhecido juntos. Um cuidando do outro. Construíram uma história de vida. Inúmeras lembranças se somavam em suas mentes.

Os momentos de descoberta e encantamento dos primeiros momentos do namoro – na escola, na igreja, na varanda, as serenatas – o pedido de casamento incomum, os momentos de luta e construção dos primeiros anos de vida a dois, a felicidade com a chegada do primeiro filho, as dificuldades com o crescer da família, as dores com perdas irreparáveis (oh! filha… oh! filho…) – “… e o coração chora embora os lábios estejam a sorrir…” – os acertos e desacertos, os netos, bisnetos e quiça tataranetos.

E ali sentados à mesa para o café, eles se entreolhavam apaixonadamente. De mãos dadas podiam sentir e compartilhar os mesmos pensamentos sem um única palavra. Os pensamentos fluíam de forma tão intensa e natural pela mente daquele “jovem-velho casal” que tudo parecia ter começado ontem.

E antes que  eles iniciassem o café a dois como faziam a setenta anos, ele sussurrou, bem fora do contexto de toda história, mas com uma significativa emoção: “…tá no peito aqui oh! Não é aliança. É essa beleza aqui..que tá aqui (batendo no peito do lado esquerdo do coração). Ela olhou profundamente em seus olhos e como a escutar-lhe a alma falando no amor sorriu gostosamente e…

Ela serviu-lhe a xícara de café, tomou a fatia de pão, retirou o miolo e passou a manteiga na casca do pão. Quando ia colocar o miolo de pão no prato dele e a casca no seu prato, pensou:

Durante cinquenta anos, todas as manhãs, dei a ele o miolo do pão, e fiquei com a parte mais gostosa, a casca recheada de manteiga.  Mas hoje eu vou fazer diferente. Vou comer a parte mais macia e servir a ele a mais gostosa – a casca recheada de manteiga. Vou fazer diferente. 

Então, depois de setenta anos comendo a casca do pão, fez diferente naquela manhã tão especial e estendeu para o marido a casca do pão ficando com a parte mais macia. Ele a apanhou, sorriu e falou com entusiasmo:

Obrigado por este presente. Durante todos esses anos, sempre quis comer a casca do pão. No entanto, como você gostava tanto, eu nunca tive coragem de pedir a você.

Terminado o café, o diálogo continuou por alguns minutos como nas últimas 25.700 manhãs.

Redação de Klau, The dragon Coach com base no texto Amor em silêncio, de autoria ignorada


Vida! O que é a vida? Ah!!! a vida é um constante diálogo de amor.

Amor! E o amor o que é? Ah!!! o amor é um constante no dialogo da vida a dois.

O amor é o único sentimento que não necessita de motivos ou razões para entrar na vida e se fazer sentir. O amor é parte que nos faz renunciar, entender, compreender e viver lado a lado por uma vida inteira.

O amor é sempre amor. Ele é um sentimento livre que nos invade, nos faz tremer por dentro e nos causa um calafrio, quase que incontrolável. Não tem jeito, o amor chega sem pedir e por muitas vezes, vem para ficar. E se esparrama, como se ele tivesse obrigação de tomar conta do nosso corpo e de todos os nossos sentidos. Ele é esse sentimento que nos faz renunciar a melhor parte e ficar com a mais macia…

Quando o amor se alia ao dialogo para a grande caminhada na estrada da vida adivinha o que acontece? Bodas de vinho… é essa beleza aqui..que tá aqui (batendo no peito do lado esquerdo do coração) são 70 anos de muitas histórias, vivências e amor verdadeiro.

The Dragon


 

E você já convidou o diálogo para companheiro de viagem, do amor, na estrada da vida a dois? 

 Você é o maestro de toda transformação!
Klau, The Dragon Coach.

https://www.facebook.com/thedragoncoach
Telefone / WhatsApp: +55 (61) 99283-7346
e-mail: thedragoncoach@gmail.com

O Trem da Vida

FB_IMG_1494196665212[1]

A vida é como uma viagem num trem, com suas estações, suas mudanças de curso, seus acidentes… Ao nascermos, pegamos o trem e nos encontramos com nossos pais, e acreditamos que sempre viajarão ao nosso lado, mas, em alguma estação, eles descem e nos deixam sós na viagem.
Da mesma forma, outras pessoas pegarão o trem e nos serão significativas: nossos irmãos, amigos, filhos e até mesmo o amor da nossa vida.
Muitos descerão e deixarão um vazio permanente.. outros passam tão despercebidos que nem nos damos conta que eles desocuparam seus assentos.

Esta viagem estará cheia de alegrias, tristezas, fantasias, esperas e despedidas. O êxito consiste em ter uma boa relação com todos os passageiros, dando o melhor de nós.
O grande mistério para todos é que não sabemos em qual estação desceremos. Por isso, devemos viver da melhor maneira, amar, perdoar, oferecer o melhor de nós. Assim, quando chegar o momento de desembarcar e o nosso assento estiver vazio, vamos deixar bonitas lembranças aos que continuam viajando no trem da vida!!!!

Autor desconhecido.


Assim é a vida… um momento, um instante, uma pausa, uma viagem de trem que nos convida o tempo todo a fazer escolhas. Escolhas, ás vezes simples e outras vezes complicadas, mas sempre escolhas.
Eu escolhi seguir nessa viagem com a bagagem repleta de compreensão, amor, alegria, paz, entendimento, gentileza e muita gratidão;
Eu escolhi valorizar o que realmente importa na vida – as pessoas;
Eu escolhi permanecer no vagão da felicidade;
Eu escolhi o amor como bilhete de embarque;
Eu escolhi seguir até a última plataforma. Qual? Que importa! Importa é que eu fiz minhas escolhas.


E você já fez suas escolhas?

Você é o Maestro de toda transformação!

Klau, The Dragon Coach.

https://www.facebook.com/thedragoncoach
Telefone / WhatsApp: +55 (61) 99286-5192
e-mail: thedragoncoach@gmail.com