Da insuportável mania de dizer não tenho tempo!

falta-de-tempo-thumb-620x413-153060

Então convidaram você para ir ao cinema e você respondeu “não tenho tempo”? Então te perguntaram porque não ligou e você respondeu “não tive tempo”! Cuidado, pois se essa resposta for recorrente em sua vida, você está correndo um sério risco de morte. A morte das coisas boas que fazem a sua vida ser melhor.

Século XXI, ano: 2016. O mundo nunca foi tão rápido quanto agora. Somos milhares de seres humanos absurdamente atarefados e loucamente sedentos por um dia que dure 30 horas ao invés das parcas 24 que Deus nos deu. Porque 24 é muito pouco. Não serve para dar conta de tudo aquilo que precisamos fazer em um dia, e isso nos estressa. Nos deixa irritadiços e pouco propensos a sermos “pessoas legais”. E a gente abre mão de muita coisa por causa dos nossos intermináveis compromissos… A gente vai deixando de viver, vai deixando de lado o que nos diverte ou nos relaxa, ou o que apenas consegue tirar de nós aquele riso fácil.

Eu sei. Todos somos pessoas responsáveis, com obrigações a serem cumpridas, metas a serem batidas e trabalhos a serem entregues. Não estou dizendo que devemos assassinar nossa vida profissional e acadêmica e nos mudarmos para a praia, sobrevivendo apenas de sol e água de coco. O que estou dizendo é que não podemos assistir calados enquanto nossa vida profissional e acadêmica comete homicídio doloso contra a nossa humanidade, contra os nossos sentimentos, contra quem somos de verdade.

E aí a gente diz que “não tem tempo”. Vamos refletir: quantas vezes já ouvimos essa resposta ao convidar um amigo para ir ao cinema, ou para tomar um café rápido? Foram inúmeras, aposto. Quantas vezes deixamos de ver alguém que nos é precioso por culpa dos trabalhos acumulados na faculdade? Quantas vezes tivemos que faltar naquele jantar de aniversário com toda a família porque preferimos ficar no trabalho até mais tarde para adiantar as coisas? Quantas vezes deixamos de ir assistir aquele show daquela banda que amamos porque no dia seguinte tínhamos que acordar cedo?

As obrigações e os compromissos têm feito isso conosco. Têm devorado nossa rotina, escravizado nosso tempo e aos poucos têm nos matado de saudade. Saudade das risadas sem motivo com os amigos, saudade das mãos dadas no cinema, saudade da piscina com os primos, saudade da corrida pela praia com o cachorro, saudade da maratona de episódios daquela série preferida. Tudo porque nos contentamos em dizer “não tenho tempo”. Pois eu tenho uma notícia surpreendente para vocês: Nós temos tempo sim. Parem de mentir, parem de inventar desculpas. O tempo é mera questão de organização e de certos sacrifícios.

Mesmo que achemos que não vai dar, que as 24 horas não vão dar conta, a verdade é que um dia suporta tudo. Basta que aprendamos a tirar dele o melhor que ele pode oferecer, basta que saibamos regar o tempo dando a ele a possibilidade de florescer. Sacrifícios, às vezes, serão necessários, precisamos entender isso. Terminar aquele trabalho tarde da noite porque foi ver o pôr-do-sol com os amigos na praia. Gastar o horário de almoço conversando com o primo que mora no interior mas foi visitar a família na cidade. Deixar o relatório pro dia seguinte porque é aniversário da namorada.

Tudo bem. Você dormiu tarde, você não almoçou, você não adiantou o trabalho. Mas você se lembra das risadas que deu com os amigos? Você lembra das boas novidades que o primo trouxe? Lembra do sorriso da namorada ao ver você? Pois é. Valeu a pena. Os sacrifícios têm seu preço, mas o fruto sempre é bom. O seu coração agradece, a sua alma agradece, o seu espírito agradece. E com certeza os seus amigos, o seu primo e a sua namorada também vão agradecer.

Mais uma vez eu repito: isto aqui não se trata de uma ode ao descompromisso, de uma apologia à irresponsabilidade. Trata-se de um lembrete de que não faz bem pro coração viver apenas para os compromissos. Se deixarmos que as coisas de adulto se apossem de nós indiscriminadamente, o que vamos nos tornar? Aonde vão parar os nossos relacionamentos? Organizar esse tempo que corre tão depressa é o segredo de tudo. É a chave para que as coisas deem certo. É a solução para que possamos terminar o trabalho e ir ao cinema depois.

Então, faça um favor às pessoas que sentem sua falta: organize seu tempo, sacrifique algumas coisas e vá vê-los. Elimine sumariamente da sua vida essa insuportável mania de dizer “não tenho tempo”. Você tem tempo. Você pode. O dia vai estar lá para que você o utilize sabiamente, então floresça o seu tempo. Isso fará bem ao seu coração e com certeza tornará o peso da rotina um pouco mais leve.

tumblr_m0dy0zNJrW1r9x643o1_500.jpg

Vá lá. Marque esse cinema que vem sendo tão adiado. Reserve aquela mesa perto da janela no restaurante. Compre brigadeiro para comer com sua mãe enquanto assiste novela mexicana. Diga, sem medo, receio ou desconfiança: Eu posso, sim. Eu tenho tempo. Vamos nos ver. E dito isto, pode abrir aquele sorriso.

Por: Kananda Magalhães Santos via http://obviousmag.org


E você até quando vai continuar justificando sua ausência com “Não tenho tempo”?

Você é o maestro de toda transformação!
Klau, The Dragon Coach.

https://www.facebook.com/thedragoncoach
Telefone / WhatsApp: +55 (61) 99283-7346
e-mail: thedragoncoach@gmail.com

 

Anúncios

Felicidade

images_(5)[1]

“A felicidade real é uma casa que se constrói por dentro da própria alma.” – Marco Prisco

A felicidade existe Phoenix? Então como encontrá-la? O que fazer para alcançar a felicidade? Onde fica a felicidade? Perguntas… perguntas… perguntas… muitas  e muitas perguntas pululam em nossa mente quando o assunto é felicidade.

Sim, a felicidade existe e podemos senti-lá, vivencia-lá com abundância. Como? Esforçando por eliminar os obstáculos – reduzir o peso da cesta que carregamos – durante a caminhada pela estrada da vida. Todos os dias, ao invés de retirarmos as pedras, acabamos acrescentando outras tantas com atitudes intempestivas, mesquinhas e precipitadas. E a cesta vai ficando pesada, pesada, pesada. E assim, vamos caminhando, ou nos arrastando dependendo da quantidade de pedras na cesta, na estrada da vida.

Se queremos ser feliz é preciso esvaziar a cesta, enchendo-a com a leveza das atitudes saudáveis perante a vida. E ser feliz é uma questão de atitude perante você mesmo na estrada da vida.Vejamos:

Cultive a disciplina do pensamento… mantendo assim a harmonia e o equilíbrio das próprias emoções;

Fale pensando no bem… e terá a concórdia como companheira em torno de si;

Age com caridade… e conseguirá uma boa conselheira na construção da paz em torno de ti;

Lute com paciência, otimismo e perseverança… e conquistará as melhores oportunidades de vencer;

Trabalhe vigorosamente… o trabalho dignifica e nos mantém no rumo do progresso;

Ame sem distinção… o amor verdadeiro não se detém no objeto amado;

Tenha segurança interior diante da vida… e sentirá a presença da felicidade;

Trabalhe em favor da autoiluminação no decorrer da vida… descobrindo assim o mais  eficaz meio de conquista da felicidade ;

Valorize o que sabe, o que é e o que se  tem na vida… e conquiste a felicidade sem os tormentos da ambição;

Cumpra com o seu dever perante a vida… seja qual for sua atribuição na vida realize-a com alegria e sinta a felicidade da consciência tranquila;

Não se apegue demasiado as pessoas que caminham com você na vida… ninguém é responsável pela sua felicidade. As pessoas são livres para estar onde melhor se sintonizam. A felicidade está em você;

Seguir amando a vida e na vida… Amar é ser livre. Ame e não tenha a preocupação de ser amado e a felicidade te alcançará;

Sê sincero…A sinceridade atrai bons e verdadeiros amigos. Amigos são luzes de felicidade na estrada da vida;

Ouve a voz da consciência… mantendo assim a tranquilidade na escolha das atitudes que te fará encontrar a felicidade na estrada da vida;

Então como encontrar a felicidade? Como ser feliz?

Simples! Esvazie a cesta e viaje com o veículo das atitudes edificantes e nobres e vislumbrará a cada quilometro na estrada da vida um “posto de gasolina” para se abastecer de FELICIDADE.

Afinal todo ser humano tem por ideal ser FELIZ. Experimente ser FELIZ.

The Dragon


Qual o peso da sua cesta? Venha esvaziar a sua cesta! É fácil ser feliz.

Você é o maestro de toda transformação!
Klau, The Dragon Coach.

https://www.facebook.com/thedragoncoach
Telefone / WhatsApp: +55 (61) 99283-7346
e-mail: thedragoncoach@gmail.com

Aonde está você agora?

download

Nós mudamos o nosso comportamento, quando a dor de permanecermos na mesma se torna maior do que a dor de mudar. – Henry Cloud

A Coach de vida e carreira Cris Repolês – uma frequentadora assídua de bons e instrutivos ensinamentos, além de cursos e treinamentos, – publicou um post no O Jornal da Fênix’ sobre  o trabalho desenvolvido pelo Coach Frederic Hudson, do Instituto Hudson de Santa Barbara.

Ao pesquisar sobre O Ciclo de Renovação,  compreendi que Hudson desenvolvera uma metáfora-teste (lembrando que a metáfora, no dizer de Henry Kimsey, nos proporciona imagens ricas para exploração e caso não resulte  em uma percepção precisa, sempre haverá um outro caminho) para fazer com que as pessoas possam perceber o seu estado atual, ou seja, “Aonde está você agora?”. Ele associa os estados que vivemos com as quatro estações do ano. Cada uma delas (verão, outono, inverno e primavera) representa um tempo e todas têm suas características determinantes.

1 – O verão (Fazendo acontecer¹) se fundamenta pela energia. O imenso sentimento de realização pode ser chamado de “Eu herói”. As realizações estão nesse momento do ciclo a todo vapor. Às vezes, o verão termina provocado por fatores externos e sem que se perceba a fonte que parecia inesgotável diminui. Como reagir ao fim dessa fase?
Talvez saber aceitar o fim da fase, criar novas estratégias, competências e atitudes e melhorar a administração de tempo e do stress seja uma boa forma de lidar com esse término repentino.
2 – A segunda e não menos importante fase é o outono (A paralisia¹). Esta estação se caracteriza pela paralisia e impotência. Parece que tudo foge ao controle. Sentimentos de desilusão e desencanto são frequente visitantes do “eu”. O conhecido “Eu morno” também tem uma forte presença nessa fase.
3 – A terceira fase é o inverno (A caverna¹), o período da reflexão e do recolhimento. É o momento em que se desenvolve um olhar para dentro de si mesmo e todos os questionamentos se fazem presente. As aptidões e os novos talentos surgem após reflexões intimas. E  querer seguir em frente após  ter refletido e redescoberto um novo propósito para a vida, pode significar o fim do inverno.
4 – A primavera (O despertar¹) – estação das flores e dos perfumes – é a quarta fase. Ela esta associada a novas conquistas (relacionamentos, amizades, amores) ou aprofundamento das existentes. Nesta fase as nossas ações são seletivas, aprendemos a ter prioridades. A automotivação é inevitável e constantes, pois estamos no máximo de nossa criatividade. Este é o momento da renovação e da coragem de permitir o fluir dos acontecimentos para a simplicidade.
E assim concluiu a Coach Cris Repolês a sua reflexão que aqui transcrevemos:
“O completar de todos os ciclos, é uma transição florescendo na forma de transformação em sua vida. Uma jornada gigantesca que realmente transforma a sua vida durante o processo.

Depois do ciclo completo, você volta para a fase inicial e começa a sonhar novamente para poder iniciar um novo ciclo de crescimento. Aonde está você agora???”

Faça o extraordinário acontecer!!!

(¹) Tradução livre dos nomes dos ciclos dado pela Coach Cris Repolês.

Email: Coach@CrisRepoles.com
Facebook: https://www.facebook.com/crisrepolesbiz
Marque sua sessão: http://www.calendly.com/coachcris
TXT / SMS: (424) 262-2458

Cada ciclo tem suas fases e cada fase suas características e em todas elas, encontramos pontos positivos para enriquecermos nossa caminhada na estrada da vida. Mas a pergunta que não quer calar é: O que você pode fazer para descobrir em que “fase”, “estágio”, ou momento você se encontra agora?
Pergunte-se como você está agindo atualmente, como se sente e como você se percebe. Vamos! Sai de dentro de você, vá em direção às nuvens e dessa posição, como expectador (3ª pessoa), observe suas ações, seus sentimentos, seus relacionamentos, enfim se perceba por completo. Quando fazemos isso, nos reconhecemos e criamos condições de identificarmos em qual estação nos encontramos. Ufa! é o  principiar do autodescobrimento… a busca infinita de nós por nós mesmos. É o princípio do “amar a si mesmo”.
Quando descobrimos realmente em que momento nós nos encontramos podemos reagir e entender melhor as situações que nos cercam… aumentando infinitamente nossas possibilidades de transformação e renovação.
The Dragon

E você já sabe em qual estação se encontra? Venha vamos descobrir!

Você é o maestro de toda transformação!
Klau, The Dragon Coach.

https://www.facebook.com/thedragoncoach
Telefone / WhatsApp: +55 (61) 99283-7346
e-mail: thedragoncoach@gmail.com

Praticando a Gratidão

FB_IMG_1457101822243[1]

“Sou muito grato às adversidades que apareceram na minha vida, pois elas me ensinaram a tolerância, a simpatia, o auto-controle, a perseverança e outras qualidades que, sem essas adversidades eu jamais conheceria.” – Napoleon Hill.

Gratidão sempre!!!

Ontem estava lendo um artigo do The Phoenix Journal – Practicing Gratitude (Praticando Gratidão) escrito por Cris Repolês – The Phoenix Coach.
E eu gostaria de destacar algumas passagens deste artigo que me despertaram a atenção e que valem uma reflexão mais profunda.

“…convidá-lo a refletir sobre sua vida e sobre si mesmo por apenas um momento…
O que te faz sentir GRATIDÃO?
O que o faz SORRIR?
O que faz o seu CORAÇÃO bater mais forte?
O que faz você se sentir PODEROSO?
O que faz você se sentir verdadeiramente FELIZ?
Este é um convite geral…”

Fazer uma reflexão profunda sobre si mesmo na busca de se conhecer e amar é a melhor forma de se ter pela vida GRATIDÃO, e nesse momento você vai se sentir em paz, alegre e começará a SORRIR, vai SORRIR tanto que seu CORAÇÃO vai acelerar o ritmo e baterá tão forte que você vai se sentir PODEROSO e todo esse poder te deixará muito, mas muito FELIZ… Então não perca esse momento…aceite o convite para “refletir sobre tudo o que te faz sentir GRATIDÃO”.

Seja grato por tudo que você tem… e o que não tem? Saúde, situação financeira, trabalho, carro…
Seja grato por tudo que você é… e o que não é? Bonito, feio, magro, gordo…
Seja grato por qualquer situação… de alegria ou tristeza, boa ou ruim…

“Pois aqui é quando a mágica começa a acontecer…” nos diz a Coach Cris Repolês. Sempre que temos gratidão estamos gerando pensamentos e sentimentos positivos e assim estamos nos abrindo para obter mais e cada vez mais.
Isso acontece porque tudo que nós sentimos e pensamos gera uma vibração. Essa vibração cria um campo energético que atraí para nós vibrações com teor equivalente (Lei de ação e reação). Assim podemos criar o nosso próprio destino, o nosso próprio mundo.

Então fica aqui o pedido da Coach Cris Repolês: Pratique a Gratidão durante toda a sua vida e perceberá como a vida lhe será grata.

E por falar em gratidão, gostaria de agradecer imensamente a esta fenomenal, fantástica Coach – Cris Repolês – que em apenas dois meses de sessão semanal revolucionou minha história de vida. A sua forma apaixonada de trabalhar, contagia, empolga e nos faz acreditar não existir o impossível quando nos dispomos a transformar a nossa vida em uma vida de sucesso.

Gratidão sempre! Cris Repolês – The Phoenix Coach.

(Leia o Artigo: “Praticando Gratidão” aqui)

The Dragon


E você tem praticado a gratidão? Venha! Vamos praticar!

Você é o maestro de toda transformação!
Klau, The Dragon Coach.

https://www.facebook.com/thedragoncoach
Telefone / WhatsApp: +55 (61) 99283-7346
e-mail: thedragoncoach@gmail.com

Dicas Transformadoras

 iStock_000045999394_Full1[1]

10 dicas transformadoras inspiradas na obra do grande poeta Rumi.

1 . Desafie o medo

Fuja do que é confortável. Esqueça a segurança. Viva no lugar onde você tem medo de viver. Destrua sua reputação. Seja notório.

2 . Seja corajoso

Não se contente com as histórias que vieram antes de você. Desvende seu próprio mito.

3. Seja grato

Use a gratidão como uma capa e ela preencherá todos os buracos de sua vida.

4 . Aja

Por que eu deveria ficar no fundo de um poço, se eu tenho uma corda forte em minhas mãos?

5. Tenha fé

À medida que você começar caminhar, aparece o caminho.

6. Abrace contratempos

Se você fica irritado com cada atrito, como você vai ser lapidado?

7. Olhe para dentro

A sua tarefa não é buscar o amor, mas apenas procurar e encontrar todas as barreiras dentro de si mesmo, que você construiu para se proteger contra o amor.

8. Aprenda com o sofrimento

A ferida é o lugar por onde a luz entra em você.

9. Não se preocupe com o que os outros pensam de você

Eu quero cantar como os pássaros cantam , não me preocupar com quem ouve ou o que eles pensam .

10. Faça o que você ama

Deixe-se ser atraído pela força pungente do que você realmente ama.

 Rumi

Postado no grupo Coração Feminino: O Despertar Conjunto

The Dragon


E você já se decidiu pela transformação? Venha! Vamos iniciar sua transformação.

Você é o maestro de toda transformação!
Klau, The Dragon Coach.

https://www.facebook.com/thedragoncoach
Telefone / WhatsApp: +55 (61) 99283-7346
e-mail: thedragoncoach@gmail.com

Renascendo com coragem

12633199801322

My beautiful…

“Renascendo das cinzas, a menina que deixei tenta voltar a sorrir com os mesmos lábios. Os lábios que sentiram cócegas com as incansáveis lágrimas que por ali já passaram. Não seria problema renascer das cinzas. Enxergar o paraíso por trás da neblina que agoniza. Ressurgindo, ela caminha e não olha pra trás, com medo da solidão estar seguindo-a rumo ao desconhecido. Seu mistério é sua arma. Seu escudo é estar em tudo, até no vazio. Não há coragem maior do que tentar ser feliz sozinho. Renascida das cinzas, a menina olha a mulher de frente, sabendo que não existe charme que substitua uma mulher independente. Ela mata um leão por dia. Extermina do caminho até o que antes não podia. Cai na luta e levanta na glória de quem olha por ela. Apaga o passado como o sopro de uma vela. E amanhecendo, o cinza vira cor em meio ao azul formidável. Um dia após o outro, ela descobre que não há nada no mundo que valha realmente a pena… e seja fácil.”

Karla Moreno

Renascer… Exige mudança. E mudança significa sacrifício, mas também novas oportunidades. Se você fizer o que sua intuição manda e usar de todo bom senso e talento que possui, esquecendo os medos, as angústias, a vergonha de se expor e lutar, você tem todas as possibilidades de alcançar a transformação necessária.

Só não consegue… quem sonha demasiado;

Todas as oportunidades tem de ser conquistadas. Não existe possibilidade de vitória sem luta. Tudo é esforço. Tudo são escolhas. O tempo todo estamos fazendo escolhas. Faça a sua! AGORA!

Esforço…Escolhas…Transformação…Oportunidades…Esforço…CONQUISTA!

Vamos! Dê o primeiro passo! APENAS dê o primeiro passo!

VOCÊ PODE VIVER O SEU SONHO!

The Dragon


E VOCÊ JÁ DECIDIU VIVER O SEU SONHO? VENHA! VIVA SEU SONHO! AGORA!

Você é o maestro de toda transformação!
Klau, The Dragon Coach.

https://www.facebook.com/thedragoncoach
Telefone / WhatsApp: +55 (61) 99283-7346
e-mail: thedragoncoach@gmail.com

 

Nossa criança interior ferida

FB_IMG_1464280272003[1]

Com certeza você já ouviu ou mesmo falou sobre uma criança interior que levamos guardada perto do coração. Também sabemos que é preciso dar-lhes vida para que sejam felizes. No entanto, tendemos a não dedicar muito tempo a essa criança, inclusive se ela foi ferida. Uma ferida que em algumas ocasiões ainda nos afeta…

O que aconteceu para que a criança dentro de você tenha se machucado? Em qual momento da vida você produziu essa “ruptura” que o marcou para sempre? E sobretudo, é possível tratar as feridas e curá-las de maneira permanente?

O evento “catalisador” de nossa criança interior

O que acontece quando essa criança interior sofre ou é ferida em algum momento da infância e que afeta nossas ações como homens e mulheres “de pleno direito”? Muitas são as teorias que tratam de explicar essa situação, uma delas é a que se denominou “evento catalisador”.

O “evento catalisador” é um fato que nos marcou a ferro e fogo, como se diz popularmente, e que forjou nossa personalidade. Basicamente acontece assim: desde que nascemos vivemos no que é conhecido como “continuidade confortável”, que permite a nossa sobrevivência e dá tudo o que precisamos (alimentos, carinho, abrigo, etc). No entanto, um dia algo nos muda para sempre e nos arranca a pontapés dessa “continuidade confortável”.

Na maioria dos casos esse evento está associado a uma emoção muito dolorosa como a morte, o medo, a separação, a desgraça, etc. Mas também algo exterior que pode parecer insignificante à primeira vista como uma palavra, uma atitude ou  uma decisão.

Quais feridas a sua criança interior carrega?

Um pai distante, uma mãe perfeccionista, um avô autoritário, uma família desfeita. A criança interior pode ser ferida por aquilo que marcou a sua infância. Carrega os traumas do passado e os transforma em padrões ou hábitos que marcam a vida adulta.

Para poder ter uma boa saúde emocional é preciso ajudar a nossa criança interior a curar suas feridas. Sim, cada uma delas e com total dedicação e responsabilidade. Não se trata de aplicar um curativo onde se necessita uma cirurgia, nem de minimizar um sintoma recorrente.

Posso curar a minha criança interior?

Para começar com o “tratamento” é importante que estejamos cientes de que estamos diante de uma criança ferida e que devemos criar um laço de amizade para que ela possa confiar em nós. Um filme que vem a mente para exemplificar a situação é “Jack”, protagonizado por Robin Williams, que se coloca na pele de uma criança que envelhece quatro vezes mais rápido do que o normal.

Num determinado momento do filme, Jack se esconde em um dos brinquedos do parque da escola. Sua professora (interpretada por Jennifer López) trata de tirar ele dali. Para conseguir isso, ela leva uns doces, mas apenas os de cor vermelha, que são os preferidos dele. Dessa maneira a “criança” começa a confiar nela, até o ponto de deixar seu esconderijo e dar uma oportunidade de tratar aquilo que o deixa mal.

Devemos fazer algo similar com a nossa criança interior que está ferida. Para que ela confie no adulto em que nos convertemos devemos oferecer-lhe o que necessita. Nunca com gritos, raiva ou ameaças… porque dessa forma não conseguiremos nada mais do que aumentar a ferida.

Se, por exemplo, a ferida foi causada porque seus pais não eram carinhosos com você, trate a sua criança interior com todo o amor do mundo. Se é por ter sido ignorado, mostre que você é mais importante, dê tempo e lhe atribua prioridade. Pouco a pouco a criança sairá do seu esconderijo e confiará em você…não perca essa oportunidade!

Fale com paciência, diga a ela que você sente muito pelo seu sofrimento e sobretudo que quer ajudar. Pergunte como ele está, de que maneira você pode lhe fazer feliz e se está disposto a fazer o esforço para que ambos alcancem o seu objetivo. Proponha diferentes atividades como sair para uma caminhada, ir à praia ou ver um filme.

Trate de integrar-lhe outra vez a sua vida, que ela tenha a oportunidade de desfrutar de tudo o que você construiu apesar de todas as dificuldades pelas quais passou. Trata-se de voltar a dar-lhe sua opinião, voto em suas decisões e, especialmente, trata-se de deixar que ela se divirta. E você com ela.

 Por: Yamila Papa via http://www.amenteemaravilhosa.com/

The Dragon


Quais feridas interior sua criança interior carrega? Venha! Descobrir sua criança interior e curar-se.

Você é o maestro de toda transformação!
Klau, The Dragon Coach.

https://www.facebook.com/thedragoncoach
Telefone / WhatsApp: +55 (61) 99283-7346
e-mail: thedragoncoach@gmail.com

O Amor Verdadeiro não Julga

jp-bPostsReal226358e7acf197ab062a0af2a135679f

Vamos Refletir…

O amor verdadeiro julga? Não. O amor verdadeiro perdoa, acolhe, transforma.

A peça de teatro intitulada "Raisin in the sun", de Lorraine Hansberry, traz um trecho realmente admirável, que convida o público a refletir sobre os valores que guardam suas almas.

Na peça, uma família afro-americana recebe uma grande quantia em dinheiro provenientes do seguro de vida do pai.

A mãe vê no dinheiro a oportunidade de abandonar a vida difícil que vivia no Harlem, e mudar-se para uma casa no campo, onde a qualidade de vida seria muito mais satisfatória.

A filha, uma moça muito inteligente, vê no dinheiro a sua maior oportunidade. Poderia estudar medicina e realizar assim seu sonho.

O filho mais velho, contudo, tem outros planos na aplicação do dinheiro. Ele apresenta um argumento difícil de ser ignorado. Ele propõe que o dinheiro seja utilizado para a dar início a um negócio em conjunto com um amigo.

Para convencer a família  ele alega que poderá trabalhar por conta própria e facilitar a vida de todos. Promete que, se puder lançar mão do dinheiro, proporcionará à família todos os confortos que a vida proporciona.

A mãe pensa e mesmo a contra gosto resolve ceder aos apelos do filho. Ela entendeu ser uma boa oportunidade para o filho. Ela tem de admitir que as oportunidades nunca foram tão boas para ele, e que ele merece essa oportunidade que a vida está lhe oferecendo.

No entanto o tal “amigo” foge da cidade com o dinheiro. Desolado, o filho é forçado a voltar para casa e dizer à família que suas esperanças para o futuro lhe foram roubadas e que seus sonhos de uma vida melhor foram desfeitos.

A irmã atira-lhe no rosto toda sorte de insultos. Qualifica-o com as palavras mais grosseiras que se possa imaginar. Seu desprezo em relação ao irmão não tem limites.

Quando ela para um pouco para respirar, a mãe a interrompe e diz: “pensei que tivesse ensinado você a amar seu irmão.”

A filha então responde: “amar meu irmão? Não restou nada nele para eu amar.”

E a mãe diz: “sempre sobra alguma coisa para amar. E, se você não aprendeu isso, não aprendeu nada. Você chorou por ele hoje?”

Não estou perguntando se você chorou por causa de si mesma e de nossa família, por termos perdido todo aquele dinheiro. Estou perguntando se chorou por ele: por aquilo que ele sofreu e pelas conseqüências que terá de enfrentar.

Filha, quando você acha que é tempo de amar alguém com mais intensidade? No momento em que faz coisas boas e facilita a vida de todos?

Bem, então você ainda não aprendeu nada, porque esse não é o verdadeiro momento para amar. Devemos amar quando a pessoa está se sentindo humilhada e não consegue acreditar em si mesma, porque o mundo a castigou demais.

Se julgar alguém, faça-o da forma certa, filha, da forma certa. Tenha a certeza de que você levou em conta os revezes que ele sofreu antes de chegar ao ponto em que está agora.

Essa é a graça misericordiosa! É o amor ofertado quando não se fez nada para merecê-lo. É o perdão concedido quando não se fez nada para conquista-lo.

É a dádiva que flui como as águas refrescantes de um riacho para extinguir as labaredas provocadas por palavras de condenação carregadas de ira.

O amor que o pai nos oferece é muito mais abundante e generoso. A misericórdia de Deus é muito mais grandiosa e sábia.

Klau, The Dragon Coach, baseado no capítulo “Sempre resta alguma coisa para amar”, da obra “Histórias para o coração” – organizado por Alice Gray

Vamos Refletir…

Julgar é diferente de analisar. Julgar os outros é criar barreiras na convivência, considerando o que você  imagina e sente sobre o outro.

Não julgue… analise… analisar é uma postura que reflete maturidade. E quando usamos do discernimento na análise estamos sendo maduros emocionalmente.

Alie o discernimento (razão) ao sentimento (coração) e reflita na condição que esta impondo ao outro e verás a oportunidade de amar verdadeiramente. Crie a oportunidade de amar de verdade.

Por mais que as pessoas, com suas imperfeições, tragam-nos mágoa, dor, sofrimento, desapontamento ou desilusão, lembremos de que sempre resta alguma coisa para amar.

The Dragon


REFLITA! LEMBRE-SE "SEMPRE SOBRA ALGUMA COISA PARA AMAR"!

Você é o maestro de toda transformação!
Klau, The Dragon Coach.

https://www.facebook.com/thedragoncoach
Telefone / WhatsApp: +55 (61) 99283-7346
e-mail: thedragoncoach@gmail.com

O riso me curou de mim…

sorrisso

Frejat já dizia que “rir é bom”. Se é. Que se levante a teoria do alívio, que se liberem as endorfinas das vidas chatas, que não se aceite deixar de rir de quão ridículos somos com nossas piadas cheias de ausência de compaixão.

Se no decorrer da evolução a respiração ofegante se converteu em ha ha há como sugerem os cientistas, nós fomos longe: prolongamos este som, provocamos lágrimas e suor num esforço que desarma o ego, sentimos uma dor suportável num momento em que o prazer se expressa nitidamente. Alteramos nosso estado de espírito. Permitimos a leveza da alma.

Transitório e ilusório também é o riso fraco, aquele assim meio de lado, já saindo, indo embora e, louco pra ficar. Tão parecido com a letra da canção.

O meu riso é música e o seu pode ser uma sinfonia em dias melancólicos.

Que ele venha e toque sem ofensas e sem pudor. E surpreenda quando não estamos preparados.

Ah é este despreparo a melhor parte. Quando o corpo treme de repente e falamos a mesma língua sem dizer nada.

Por que não Sorrir mais? Chorar de rir mais? Por que não se permitir o entorpecimento da endorfina num corpo privado de prazeres nobres?

Que se estabeleça como dever diário: rir, despudoradamente, seja lá do que for.

O riso deveria ser matéria obrigatória de estudo. Atividade física vital.

A oração de todas as manhãs. A saudação primordial. A melhor música do play. O remédio usado sem restrições.

O riso é “a expressão de triunfo do cérebro”, disse um dia Chesperito.

Por isso, se o destino me permitir, quero morrer rindo. E ao morrer de rir, nascer para a vida.

Por: Kênia Casagrande via https://osegredo.com.br

The Dragon


E VOCÊ O QUANTO ESTÁ SORRINDO DIARIAMENTE? VENHA VAMOS SORRIR!

 Você é o Sorriso de toda transformação!
Klau, The Dragon Coach.

https://www.facebook.com/thedragoncoach
Telefone / WhatsApp: +55 (61) 99286-5192
e-mail: thedragoncoach@gmail.com

 

É preciso amar a si mesmo

como-se-amar-mais

Quando me amei de verdade, compreendi que em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa, no momento exato.
E então, pude relaxar.
Hoje sei que isso tem nome… Auto-estima.

Quando me amei de verdade, pude perceber que minha angústia, meu sofrimento emocional, não passa de um sinal de que estou indo contra minhas verdades.
Hoje sei que isso é…Autenticidade.

Quando me amei de verdade, parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento.
Hoje chamo isso de… Amadurecimento.

Quando me amei de verdade, comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma situação ou alguém apenas para realizar aquilo que desejo, mesmo sabendo que não é o momento ou a pessoa não está preparada, inclusive eu mesmo.
Hoje sei que o nome disso é… Respeito.

Quando me amei de verdade comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável… Pessoas, tarefas, tudo e qualquer coisa que me pusesse para baixo. De início minha razão chamou essa atitude de egoísmo.
Hoje sei que se chama… Amor-próprio.

Quando me amei de verdade, deixei de temer o meu tempo livre e desisti de fazer grandes planos, abandonei os projetos megalômanos de futuro.
Hoje faço o que acho certo, o que gosto, quando quero e no meu próprio ritmo.
Hoje sei que isso é… Simplicidade.

Quando me amei de verdade, desisti de querer sempre ter razão e, com isso, errei muitas menos vezes.
Hoje descobri a… Humildade.

Quando me amei de verdade, desisti de ficar revivendo o passado e de preocupar com o futuro. Agora, me mantenho no presente, que é onde a vida acontece.
Hoje vivo um dia de cada vez. Isso é… Plenitude.

Quando me amei de verdade, percebi que minha mente pode me atormentar e me decepcionar. Mas quando a coloco a serviço do meu coração, ela se torna uma grande e valiosa aliada.
Tudo isso é… Saber viver! 

Kim e Alison McMillen


Quando você parar de frente ao espelho…  e se encantar consigo mesmo;

Quando você parar de frente ao espelho… e dar uma piscadinha pra si mesmo;

Quando você parar de frente ao espelho… e disser pra si mesmo como você está lindo(a);

É sinal que está no caminho…

É sinal de que está começando a amar a si mesmo, começando a aprender a VIVER.

The Dragon


E VOCÊ O QUANTO TEM SE AMADO? VENHA APRENDER A AMAR A SI MESMO! VENHA SABER VIVER!

Você é o maestro de toda transformação!
Klau, The Dragon Coach.

https://www.facebook.com/thedragoncoach
Telefone / WhatsApp: +55 (61) 99283-7346
e-mail: thedragoncoach@gmail.com